Dízimos e Ofertas: pretextos dos impiedosos

 

PREFÁCIO: Escritor Ézio Luiz Pereira

Convidou-me o Pastor Sólon, ilustre autor desta instigante obra literária, para confeccionar o seu prefácio, a título de apresentação, tarefa da qual me desincumbo com especial satisfação e renovado prazer,  após ler a redação definitiva, mergulhando, atentamente, no teor do que foi escrito e pesquisado, ao sabor das Sagradas Escrituras.

 

Decerto, a satisfação se intensifica por vários motivos. A um, porque o escritor  revela liberdade e neutralidade total para enfrentar o tema, uma vez que não está refém de recebimento de dízimos, nem à mercê de “líderes” impulsionados pela ganância religiosa, o que lhe confere seriedade e legitimidade para escrever o que escreveu. A dois, porque o seu texto está dentro de um contexto, em conexidade coerente e lógica, portanto não constitui texto isolado do todo; trata-se de pesquisa sistemática e harmônica.

 

A três, porque o escritor foge da vala comum previsível e, de forma ousada e vanguardista, parte para uma compreensão epistemológica em sintonia com a verdadeira mensagem bíblica, sem interpretações judaizantes forçadas. A quatro, porque – a par da cientificidade – o autor respalda seus escritos na espiritualidade, sem a qual cair-se-ia em mera interpretação secular de um texto qualquer.

 

Colhe-se, pois, da pena do escritor requintado, a preocupação em esboçar a historicidade do tema, pois que, afinal, nas palavras do jusfilósofo Giorgio Del Vecchio, “o presente sem o passado carece de sentido e o passado revive no presente”, revelando conhecimento profundo sobre o tema e como ele se desenvolve ao longo da história humana, em sintonia com a revelação de Deus. Decerto, esta incursão teológica é absolutamente distinta das que costumeiramente aparecem aqui e ali. Assim é que, com clareza e objetividade – mas sempre primando pela franqueza, característica do Pastor Sólon – o escritor interliga cada pensamento com o tecido bíblico, sem temer o “mercado religioso”.

 

Do que se observa, em síntese apertada, é que o autor começa a enfrentar o tema do dízimo, no campo veterotestamentário, na era patriarcal, em Abraão, alcançando, posteriormente, o período da lei, fazendo alusão às diversas ofertas veterotestamentárias, com as devidas corrigendas doutrinárias quanto aos equívocos encontrados hoje. Seguidamente, enfrenta o tema no período pré-exílico, pós-exílico, até culminar com o ingresso na seara neotestamentária, com o advento messiânico. A partir do ministério glorioso do Senhor Jesus, o texto ganha cores interessantíssimas, até culminar com o tema dentro do período da Graça, no interlúdio da igreja contemporânea.

 

Mas não é apenas nessa agradável sequência histórica progressiva que a obra merece as boas-vindas no cenário da boa literatura cristã. É que o autor, com rara habilidade, passa a dissertar sobre o tema dentro da história da igreja e seus segmentos até a “igreja evangélica do século 21”, numa constante preocupação em afastar as heresias que se veem amiúde, à luz da Escritura Sagrada, em explanação exegética escorreita.

 

Em tom de conclusão – e não quero me alongar porque a leitura do livro não deve ser adiada por conta de um longo prefácio – o Pastor Sólon proporciona à comunidade cristã uma contribuição altamente significativa, inaugurando, assim, a sua carreira literária que já se revela promissora, com credibilidade e seriedade. Parabéns, Pastor Sólon, pela profundidade do texto oriundo de seu punho, mas com a inspiração do alto.

 

 

ÉZIO LUIZ PEREIRA

Juiz de Direito – ES

Mestre em Direito pela FDC/RJ

Doutor em Teologia (Soteriologia) pela FATEF/RJ

Mestre em Teologia (Bibliologia) pelo SBTe/MG

Practitioner em PNL pelo INDESP/ES

Membro da Academia Cachoeirense de Letras

Escritor, autor de quatorze livros publicados.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!