Batismo nas águas

Batismo nas águas

OS TRÊS TIPOS DE BATISMO

 

A bíblia registra três tipos de batismo, a saber:

1. o batismo de João;

2. o batismo em nome do Senhor Jesus; e

3. o batismo do Espírito Santo

O texto bíblico a seguir faz referência a esses tipos de batismo:

“1 Aconteceu que, estando Apolo em Corinto, Paulo, tendo passado pelas regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, 2  perguntou-lhes: Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes? Ao que lhe responderam: Pelo contrário, nem mesmo ouvimos que existe o Espírito Santo. 3  Então, Paulo perguntou: Em que, pois, fostes batizados? Responderam: No batismo de João. 4  Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus. 5  Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus. 6  E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam.” (Atos 19:1-6 RA)

 

O BATISMO DE JOÃO

 

O batismo de João se realizava por imersão nas águas, já que era realizado no rio Jordão. Este batismo ficou conhecido como o batismo do arrependimento e antecedia a manifestação do Cristo. Tratava-se de uma preparação de corações sinceros para o momento vindouro da redenção prometida por Deus.

 

“1 Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizia: 2  Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus. 3  Porque este é o referido por intermédio do profeta Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. 4  Usava João vestes de pêlos de camelo e um cinto de couro; a sua alimentação eram gafanhotos e mel silvestre. 5  Então, saíam a ter com ele Jerusalém, toda a Judéia e toda a circunvizinhança do Jordão; 6  e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.” (Mateus 3:1-6 RA)

 

O BATISMO DO ESPÍRITO SANTO

 

O batismo do Espírito Santo é aquele que conduz o homem a uma vida mais íntima com Deus e é concedido a todo o novo nascido que, além de crer no Senhor Jesus, seja sincero, dê ouvidos à palavra de Deus, peça e espere com confiança (fé) esse batismo:

 

"Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" (LC 11:13)

 

 O BATISMO EM NOME DO SENHOR JESUS

 

O próprio Senhor Jesus ordenou que seus discípulos batizassem, mas não em seus próprios nomes, mas pela delegação do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Assim, quando o pastor batiza uma pessoa deve esclarecer que está fazendo aquilo no lugar daquele que o comissionou para tal mister: Deus (Pai, Filho e E.S.).

 

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mateus 28:19) 

 

O batismo como mandamento de Jesus

 

Como visto, foi o próprio Senhor Jesus quem deu ordem a seus discípulos para selarem com o batismo os homens que cressem no testemunho acerca de Jesus (Mt 28:19). Ou seja, Jesus ordenou que os discípulos fossem a todo o mundo anunciando a salvação de Jesus e que, em seguida, batizassem aqueles que viessem a crer. É por isso que quem aceita o Senhor Jesus deve receber o seu batismo (batismo em nome de Jesus) que, simbolizado pela água, sela um pacto com Deus e o inclui na Igreja visível e invisível de Jesus, isto é, no corpo de Cristo.

 

O batismo e a salvação

 

O batismo não tem um fim em si mesmo: por si só não salva ninguém, mas é parte da salvação, ou seja, é um elemento da salvação do homem, conforme se vê no texto a seguir:

 

“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” (Marcos 16:16 RA)

 

Não há letra morta na bíblia. A conjunção “e” que liga “crer e for batizado” faz uma soma de duas condições para a salvação. Desse modo, não basta crer, somente. É necessário que aquele que creu seja batizado para ser salvo.

 

Esse mesmo entendimento é reafirmado na passagem em que Jesus afirma que Nicodemos deveria nascer de novo, se quisesse entrar no reino de Deus, isto é, se quisesse ser salvo. Jesus afirma a Nicodemos que ele deveria nascer (de novo) da água e do espírito.

 

“Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” (João 3:5 RA)

 

O nascer da água é o próprio batismo, que lava o homem (arrependimento e perdão) e o sela para uma nova vida. Já o nascer do espírito é a regeneração do nosso espírito, morto em razão na nossa velha vida entregue ao curso deste mundo, à carnalidade e ao pecado. Logo, o arrependimento associado ao perdão, testemunhado pelo batismo nas águas, purifica o pecador e abre o caminho para a regeneração do seu espírito, que, a partir daí, irá atuar para o fim da santificação diária. O batismo testifica do arrependimento, do perdão e da conseqüente purificação do homem. Sim, ele já está limpo, lavado pelas águas purificadoras mas, como nos ensinou Jesus, ainda é necessário o lavar constante dos pés, que são os pontos de contato com a terra, ou seja, com este mundo impuro governado pelas trevas, senão vejamos:

 

“Declarou-lhe Jesus: Quem já se banhou não necessita de lavar senão os pés; quanto ao mais, está todo limpo. Ora, vós estais limpos, mas não todos.” (João 13:10 RA)

 

Ora, Pedro, em sua primeira carta direcionada aos crentes do primeiro século afirmou que a água do dilúvio simboliza o batismo nas águas, que faz separação entre os que são purificados pelo sangue de Jesus e aqueles que permanecem no pecado, mesmo sendo advertidos de suas conseqüências, rejeitando o perdão e a purificação do sangue de Cristo.

 

Pedro esclarece que Deus foi misericordioso aguardando que o homem se arrependesse de seus pecados enquanto se construía a arca (aproximadamente 100 anos), tempo em que se tinha notícia pela boca dos escolhidos de Deus (Noé e sua família) de um juízo vindouro em razão do pecado daquela geração. Passado o tempo de arrependimento, as águas do dilúvio separaram os que creram daqueles que não creram. Os que creram foram salvos e os que não creram foram condenados.

 

 “Estes eram os espíritos daqueles que não tinham obedecido a Deus, quando ele ficou esperando com paciência nos dias em que Noé estava construindo a barca. As poucas pessoas que estavam nela, oito ao todo, foram salvas pela água. Aquela água representava o batismo, que agora salva vocês. Esse batismo não é lavar a sujeira do corpo, mas é o compromisso feito com Deus, o qual vem de uma consciência limpa. Essa salvação vem por meio da ressurreição de Jesus Cristo,” (1 Pedro 3:20-21 NTLH)

 

Como visto, mais uma vez, o batismo é mencionado como componente da salvação do homem, que, após ter consciência do pecado e do juízo de Deus, deve se arrepender e crer no perdão proporcionado pela morte e ressurreição de Jesus, sendo, assim, lavado e purificado para uma nova vida em compromisso com Deus. E o batismo nas águas é o símbolo público do pacto que o homem sela com Deus, dando testemunho do arrependimento de seus pecados, do perdão recebido de Jesus e do desejo de ter uma nova vida, andando sob a direção do Espírito Santo de Deus. Por isso, o batismo faz parte da salvação do homem.

 

Mas, e quanto ao ladrão que morreu na cruz ao lado de Jesus? O próprio senhor Jesus afirmou sua salvação e ele não foi batizado nas águas.

 

 “41 Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez. 42  E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. 43  Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (Lucas 23:41-43 RA)

 

De fato, o ladrão da cruz não foi batizado. E isso não era possível, pois ele já estava preso na cruz. Esta é a questão: o que salva o homem é o crer em Jesus e o arrepender-se de seus pecados. O batismo só se torna condição de sua salvação na medida em que isso é possível de se realizar antes de sua morte. Ou seja, o homem que crer e se arrepender de seus pecados, mas morrer antes mesmo de ter tido a oportunidade de ser batizado será salvo. Mas, se o homem após crer e se arrepender tiver oportunidade de se batizar e não o fizer comprometerá a sua salvação, pois rejeita voluntariamente o mandamento de Jesus recusando-se a dar testemunho da salvação de Jesus e do seu compromisso com Deus.

 

Afinal, o que levaria um homem que creu em Jesus e que se arrependeu de seus pecados e que aceitou o sacrifício de Jesus para remi-lo a se recusar a dar esse testemunho?

 

Não há desculpas a serem apresentadas a Deus se nos envergonharmos e evitarmos a dar o nosso testemunho público da salvação de Jesus:

 

(Marcos 8:38)  Porque qualquer que, nesta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos.

 

É verdade que há vários textos que afirmam: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo”, tal como dito por Paulo e Silas ao carcereiro de Filipos, sem qualquer referência ao batismo (At. 16:30-32). Entretanto, isso não invalida o mandamento de Jesus, pois se o carcereiro creu em Jesus, naturalmente creu na palavra de Jesus, que a ele foi pregada em seguida. E a palavra de Jesus é: “Quem crer e for batizado será salvo...”

 

Exemplo do cumprimento da ordem de Jesus

 

Após a morte, ressurreição, ascensão de Jesus e o derramamento do Espírito Santo, o discípulo Filipe recebeu uma visita de um anjo de Deus que lhe deu ordem para estar no caminho que desce de Jerusalém a Gaza aguardando ali nova orientação da parte de Deus. Descia por aquele caminho um oficial da rainha de Candace (Etiópia) e o Espírito Santo de Deus ordenou que Filipe acompanhasse aquela carruagem. O oficial de Candace vinha lendo as escrituras sagradas (Is. 53:7-8) e, ante a intervenção de Filipe, convidou-o para subir e lhe dar algumas explicações acerca do texto. Filipe aproveitando-se daquela oportunidade anunciou a salvação de Jesus, vindo o etíope a crer. A ação imediata do etíope, após crer na salvação de Jesus foi desejar o batismo nas águas, ao que indagou a Filipe se havia algum impedimento para que ele fosse batizado naquela mesma hora, já que eles estavam passando por um lugar onde havia água. Filipe declarou que não se pode recusar o batismo àqueles que crêem e imediatamente o batizou, conforme se vê a seguir:

 

(AT 8:35-38) "35 Então Filipe, abrindo a sua boca, e começando nesta Escritura, lhe anunciou a Jesus. 36 E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado?" 37 E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. 38 E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou."

 

Como se observa na passagem referida, Deus manda auxílio àquele que tem um coração desejoso de compreender sua palavra. Esse coração inclinado para as coisas de Deus logo é ministrado para que possa compreender a salvação de Jesus. E imediatamente após isso, havendo oportunidade, o coração convicto de sua natureza pecadora e da salvação que está em Jesus sente necessidade de ser batizado para selar um compromisso com Deus e dar testemunho de um novo viver. Assim fica fácil compreender a razão pela qual Jesus afirmou que o batismo faz parte da nossa salvação.

 

Em resumo, aquele que sinceramente se arrependeu de seus pecados e está convencido de que Jesus pode perdoá-lo e purificá-lo, naturalmente sentirá o desejo de ser batizado nas águas, cumprindo, assim, ao mandamento de Jesus. Do contrário, havendo oportunidade para o batismo, o homem que o evita estará demonstrando que, por algum motivo, ainda não aceitou completamente a obra da cruz, pondo em risco, assim, a sua salvação, já que esse é o período em que a “arca de Noé” está sendo construída e o dilúvio pode vir a qualquer instante, pois os tempos atuais anunciam a proximidade do arrebatamento da igreja.

 

QUESTÕES PRÁTICAS A SEREM ESCLARECIDAS

 

O que é batismo nas águas? 

 

1. Mandamento de Jesus

 

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;” (Mateus 28:19 RA)

 

Qual o significado do batismo?

 

É um testemunho público de que a pessoa que está sendo batizada, um dia se reconheceu pecadora, admitiu que só por meio de Jesus há o perdão de pecados, se converteu ao Senhor e quer continuar seguindo-o, juntamente com sua igreja, na direção do Espírito Santo de Deus, ou seja, é uma nova pessoa agora ligada ao corpo de Cristo.

 

O batismo simboliza a lavagem do corpo pela imersão na água, ou seja, desce um homem sujo e sai um homem limpo. Também significa que quando a pessoa desce as águas, é como se estivesse sendo sepultada ou morrendo para a velha vida que tinha no mundo sem Deus e quando sai das águas, é como se estivesse sendo ressuscitado para uma nova vida com Deus.

 

Em resumo, o batismo representa:

 

1. Testemunho de arrependimento de pecados - o batismo é sinal de arrependimento e perdão

 

“Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.” (Atos 2:38 RA)

 

2. Testemunho de união com Cristo – no seu corpo, a igreja - o batismo é a cerimônia em que uma pessoa se torna membro de uma igreja cristã.

 

“26  Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; 27  porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes.” (Gálatas 3:26-27 RA)

 

3. Testemunho da morte do velho homem e do nascimento do novo

 

“tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.” (Colossenses 2:12 RA)

 “3  Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? 4  Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida. 5  Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição,” (Romanos 6:3-5 RA)

 

4. Testemunho de uma aliança com Deus

 

É um concerto que o homem faz com Deus de ser seu servo e da mesma forma Deus faz com o homem de ser seu Senhor. Este Batismo é feito imergindo a pessoa na água – João Batista batizava os homens (inclusive Jesus) mergulhando-os no rio Jordão e Filipe desceu às águas com o etíope para batizá-lo;

 

O que é necessário para alguém ser batizado?

 

Crer em Jesus como o Salvador (At. 8:36 e 37) e, se houver oportunidade, ser batizado nas águas.

 

Isso implica arrepender-se dos seus pecados, converte-se (At 2:28) em um novo homem (libertação dos vícios, mau costumes etc.), para servir ao Senhor na igreja. Isto só quem faz é o Senhor.

 

É certo batizar crianças?

 

A Bíblia ensina que não, pois para a pessoa batizar tem que se arrepender primeiro e uma criança não tem consciência do pecado.

 

Quais os benefícios do batismo nas águas?

 

Confirmação da salvação e ser integrado no corpo de Cristo, tornando-se membro da igreja e participando ativamente de seus trabalhos para a salvação de vidas.

 

Usufruir os atos pastorais: casamento, consagração de filhos, ceia, etc.


Por: Pr. Sólon Lopes Pereira


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!