Carta 059

11/07/2016 23:07

Memórias de um recomeço difícil:

Desligamento da Congregação de São Paulo (Pr. Plácido) da Comunidade Evangélica Entre as Nações (CEEN)

Após mensagem eletrônica do pastor Robinson Valadares, presidente da CEEN, em 21.06.2016, resposta do pastor Plácido de Aracanduva-SP, segue o texto:

"Vamos fazer o seguinte, como vc tem toda confiança e o Carlos do Itaim já está seguro no trabalho evangelístico, tem ele o cuidado com as famílias que estão com ele, vamos dar a oportunidade dele prosseguir com a Ceen Itaim SP, e eu sigo com amai que pelo entender é um projeto do Pr Ademir e Sólon, por um tempo. Assim saberemos se este é o caminho. Certo que o Venâncio entenderá e bem como vc também pois lutamos por um intuito de honra pois minha missão esta designada a grande catástrofe espiritual que advir sobre a (...) este foi a razão de ter recebido a ordem de sair. Certo que um dívida tenho com você, Venâncio, Manoel. Mas volto com honramento. Abraços."

 

De: Venancio Santana venancio.jsf@gmail.com

Data: 30 de junho de 2016 15:39

Assunto: Desligamento do pastor Plácido

Para: Jose Placido

Paz amado pastor Plácido.

A respeito da sua mensagem eletrônica (...), destinada por WhatsApp, em 21.06.2016, ao pastor Robinson Valadares de Vasconcelos, esta presidência comemorou sua compreensão madura relacionada aos trabalhos evangelísticos no Reino de Deus, dando apoio incondicional aos serviços voluntários realizados pelo nosso querido pastor Carlos Roberto da Cruz, com as famílias que estão convivendo com ele em Itaim Paulista-SP, que nos lê por cópia. Isso é muito gratificante para a nossa igreja e nobre de sua parte - ver um companheiro apoiando, orando e abençoando o outro em suas empreitadas evangelísticas de ganhar almas, pois todos lutamos por um intuito de honra a DEUS, exclusivamente.

Estando certos de que é o Senhor que estabelece nossas parcerias e vinculações na CEEN, esta presidência compreendeu sua decisão unilateral em seguir com a "Amai", se desvinculando do rol de membros/pastores da Comunidade Evangélica Entre as Nações.

Não poderíamos deixar de agradecê-lo pelo carinho e respeito a esta presidência, também o consideramos muito, nada obstante os momentos de breve convivência. Como não tivemos oportunidade, pedimos também informar à igreja dos nossos sentimentos pela sua desvinculação da CEEN, assim como dizer aos membros da igreja que continuamos a disposição, podendo procurar o amado pastor Carlos.

Infelizmente, devido a distância, não tivemos tantas oportunidades de gozar um tempo de melhor qualidade, se assim tivesse acontecido poderíamos de forma transparente dialogar melhor e influenciar positivamente em sua decisão, que dirá se o precioso pastor tivesse a oportunidade em ouvir os verdadeiros planos do nosso saudoso e mestre pastor Ademir, dos quais conhecemos e, como seus confidentes, continuamos prosseguindo nas mesmas diretrizes estabelecidas para a CEEN. Mas, como já dissemos, O Senhor, dono da igreja, é que estabelece as parcerias e vinculações, não nos cabendo mais interferir na sua decisão, mesmo antevendo que certas posicionamentos geram conflitos e consequências não desejadas.

Aproveitando o ensejo e zelando pelo patrimônio da CEEN, esta presidência, conforme estabelece seu Estatuto, "DA RECEITA E DO PATRIMÔNIO DA CEEN E DE SUAS IGREJAS", solicitamos o especial obséquio de disponibilizar todos os equipamentos/itens adquiridos pela Comunidade Evangélica Entre as Nações, CNPJ 05.453.018.0001-62, nos estabelecimentos comerciais denominados de Tango Música e Instrumentos LTDA e KN Import Áudio e Som Profissional LTDA - ME, conforme Notas Fiscais 1.047 e 89, em 22.06.2013 e 28.06.2013, respectivamente.

Além dos bens já identificados nos documentos fiscais acima, solicitamos, também, entregar todos os demais utensílios que integram o patrimônio da CEEN, ainda que adquiridos com os recursos administrados pelo Ministério Local, quais sejam, dízimos, ofertas, legados e contribuições voluntárias dos membros da CEEN, sendo por meio de pessoas físicas ou jurídicas, conforme estabelece o citado Estatuto - DA COMPETÊNCIA DAS IGREJAS DA CEEN.

Conforme orientação desta presidência, o pastor Carlos marcará previamente dia/horário para conferência e transporte dos equipamentos de propriedade da CEEN, sob guarda e zelo do amado pastor.

Na oportunidade, solicitamos, ainda, entregar a procuração emitida em ...., cujo teor estabelecia o amado pastor como procurador da CEEN no Estado de São Paulo.

Agradecemos pelo carinho despendido, ao tempo em que continuamos no mesmo amor fraternal, colocando-nos a sua disposição e dos membros em Aricanduva e vizinhança.

Presidência da Comunidade Evangélica Entre as Nações

Atenciosamente,

Robinson Valadares

 

De: Jose Placido

Data: 1 de julho de 2016 15:48

Assunto: Re: Desligamento do pastor Plácido

Para: Venancio Santana

Perfeito, cabe lembrar que foram cinco anos no trabalho e como os equipamentos conforme nota fiscal descrita, serão entregues não de imediato pois estamos aguardando a chegada do equipamento no qual estão a serviço do Mesmo Deus, a menos que nosso Deus seja um Deus diferenciado que não pode contar com o apoio do outro grupo a ele designado. Cabe lembrar também que nas conversas que tive com Pr. Ademir que mesmo se não tivesse continuado com a CEEN, jamais teria cobrado a devolução de equipamentos a não ser se as reuniões tivessem findadas. Sendo assim, o serviço ao Rei Jesus continua e é neste ponto que avaliamos o formalismo e um amor interesseiro, onde se dá ajuda e lá na frente se cobra tal preço. O mesmo saudoso Pr. Ademir que me ligava sempre, me falava que ajudou a muitos, mas nunca imputou devoluções e não deixou de continuar ajudando. Me admirei por tal palavras de carinho acompanhado de um desesperado fator cobrança.

Sendo assim, no exato momento que puder receber novos equipamentos, serão disponibilizados sem problema algum.

No mais, segue o relatório mensal, que contribuiu para manutenção do aluguel.

Contudo esperamos de vossa Senhoria a paciência para que com alegria possamos liberar os equipamentos.

 

De: Pr. Sólon

Data: 4 de julho de 2016 15:47

Assunto: Fwd: orem

Para: Pr. Robinson; Venancio Santana; outros.

Prezado Pr. Robinson, paz!

Devido ao momento complicado por que passamos em virtude da enfermidade da Ana Maria, somente agora tomei conhecimento de alguns fatos que envolveram o desligamento da igreja da CEEN de São Paulo.

Segue, no histórico deste e-mail, a resposta do Pr. Venâncio dada ao Pr. Plácido quando da oficialização do seu desligamento.

Também, anexo a este e-mail está o áudio que o Pr. Plácido, muito triste, encaminhou aos irmãos da igreja de São Paulo para explicar como eles foram notificados pela CEEN a devolver os equipamentos de som e os dízimos, ofertas e contribuições voluntárias até o mês do desligamento, nos seguintes termos:

 "...solicitamos o especial obséquio de disponibilizar todos os equipamentos/itens adquiridos pela Comunidade Evangélica Entre as Nações, CNPJ 05.453.018.0001-62, nos estabelecimentos comerciais denominados deTango Música e Instrumentos LTDA e KN Import Áudio e Som Profissional LTDA - ME, conforme Notas Fiscais 1.047 e 89, em 22.06.2013 e 28.06.2013, respectivamente.

Além dos bens já identificados nos documentos fiscais acima, solicitamos, também, entregar todos os demais utensílios que integram o patrimônio da CEEN, ainda que adquiridos com os recursos administrados pelo Ministério Local, quais sejam, dízimos, ofertas, legados e contribuições voluntárias dos membros da CEEN..."

Pois bem, permita-me esclarecer os fatos sobre o auxílio que prestei ao Pr. Plácido quando da sua decisão. Como você sabe, a Amai não é uma denominação (igreja), mas uma associação de igrejas independentes. Por não haver impedimentos de que qualquer denominação ou igreja faça parte dessa associação, o Pr. Plácido associou-se à Amai, respeitando expressa autorização que lhe foi conferida pelo Pr. Ademir, então Presidente da CEEN, conforme você pode constatar na procuração que faço anexar a este e-mail, cujo trecho específico transcrevo a seguir:

"Na qualidade de representante legal e pastor Presidente da Comunidade Evangélica Entre as Nações, ... eu Ademir Soares Lima, ... nomeio o Pastor José Plácido dos Santos Filho, ...como representante legal da Comunidade Evangélica Entre as Nações, podendo estabelecer igrejas e congregações, em todo território nacional, fazer parcerias com entidades civis e eclesiásticas,..." (grifei)

Com o passar do tempo, o Pr. Plácido, sem qualquer interferência ou sugestão minha ou de qualquer dos associados da Amai, decidiu, por sua própria consciência, desligar-se da CEEN, juntamente com o grupo com o qual ele vinha trabalhando há algum tempo. Como ele desejava continuar seu ministério, mas precisava de um apoio formal (Estatuto, CNPJ, conta bancária, carteira de pastor, assistência contábil e jurídica) pediu-me ajuda, porque sabia que a Igreja Cristã Celeiros (ICC), além de ser uma igreja muito bem organizada, tem princípios de acolhimento semelhantes aos que a CEEN anunciava desde sua constituição. Foi exatamente com o Pr. Ademir que aprendemos que devemos acolher os que precisam e nos pedem ajuda.

É bom lembrar que a CEEN acolheu a maioria de seus atuais pastores e, inclusive, algumas igrejas inteiras, como foi o caso da CEEN-Asa Norte, entre outras.

Para confirmar o que estou dizendo, transcrevi um trecho do depoimento dado pelo Pr. Ademir no vídeo comemorativo dos 10 Anos da CEEN (o trecho pode ser visto em https://www.youtube.com/watch?time_continue=739&v=2Apes1G2yTg no trecho que fica entre doze minutos e vinte e dois segundos e treze minutos e trinta segundo, conforme segue:

 (12'22 - 13'30): "Importante frisar que a Comunidade não começou com a divisão de igreja nenhuma, não provocou divisão. Nós começamos com um grupo muito pequeno. Lembro que os primeiros, os primeiros membros da comunidade foi meu filho Marcos Gregório e o Fernando, filho do César., eram meus dois instrumentistas. O Manoel Lira que praticamente desde o início estava conosco, certo, depois logo nos primeiros dias veio, os outros filhos meus vieram, Tavânia, Leonardo, Paulo Henrique, vieram esta conosco. Esses foram os primeiros membros da Comunidade. Então, a Comunidade não nasceu de divisão de igreja nenhuma, nós não provocamos divisão alguma, não trouxemos ninguém, não convidamos ninguém. Agora, é claro, que todos que posteriormente nos procuraram, e até hoje que nos procuram, nós RECEBEMOS COM TODO AMOR E CARINHO SEM NOS PREOCUPAR DE ONDE ELES VÊM. Importante, a gente apenas recebe COMO DEVE FAZER QUALQUER PASTOR." (grifei)

Assim, Pr. Robinson, do mesmo modo como sempre procedeu o Pr. Ademir, estendi a mão a um amado companheiro mesmo sabendo que ele só precisava de requisitos formais para prosseguir com seu ministério, nada mais. Em nenhum momento cobrei dele qualquer tipo de participação financeira, seguindo o mesmo princípio que eu e o Pr. Ademir sempre adotávamos quando iniciávamos igrejas da CEEN fora de Brasília.

É bom ressaltar que nosso espírito comum sempre foi de ver o evangelho se expandir. Nunca medimos esforços para ajudar os que estavam começando. Desse mesmo modo também fomos muito abençoados. Os pastores de Itaipava/RJ bem sabem que eu e o Pr. Ademir recebemos para a CEEN uma igreja montada, com todos os equipamentos de som, cadeiras, púlpito etc. de um pastor que não pertencia à CEEN. Creio que o espírito de gratidão permanece nos corações dos irmãos que foram beneficiados por aquele gesto de generosidade e de desprendimento material, raros nos tempos modernos.

A propósito, talvez você não saiba, mas os pastores que participaram mais de perto de todo o progresso da CEEN fora de Brasília são testemunhas do quanto nós investimos em ministérios sem pedir nem esperar nada em troca. Até mesmo depois de minha saída já estar acertada com o Pr. Ademir, atendi a um pedido dele para contribuir com R$ 1.000,00 para ajudar uma igreja da CEEN no Nordeste.

Também, não será difícil lembrar que não virei as costas aos irmãos da CEEN que precisaram de ajuda financeira na ocasião do sepultamento do Pr. Ademir, mesmo estando fora da CEEN há mais de um ano.

 Enfim, sei que isso é passado e que hoje estamos diante de uma realidade bem diferente, o que respeito.

Quanto a formalidades, como você sabe, eu conheço muito bem o Estatuto da CEEN e sei o que diz a respeito de seu patrimônio. Entretanto, se você olhar para trás irá testificar que o espírito que nos governava enquanto estávamos juntos nunca foi o da avareza ou do materialismo, razão pela qual, na esperança de que o espírito da gratidão ganhe primazia sobre as regras formais neste momento, peço que você, na condição de Presidente da CEEN, dispense o amado Pastor Plácido da devolução dos equipamentos que tanto farão falta àquela humilde igreja.

Se isso não for possível, consulte à Presidência da CEEN sobre a possibilidade de eu pagar no lugar dele pelos referidos equipamentos, em parcelas, para que não seja necessário que aquela igreja seja despojada como se fosse um inimigo.

Agradeço desde logo sua compreensão e informo que continuo à disposição para ajudar a todos os irmãos quando precisarem de mim, inclusive na preparação e montagem do documentário sobre a CEEN, conforme me foi solicitado pelos familiares do Pr. Ademir.

Fraternalmente,

Pr. Sólon

 

Mensagem via Whatsapp, em 9 de julho de 2016, às 22h48 - Pr. Sólon ao Pr. Robinson:

Prezado Pr. Robinson, paz! Recebi a notícia do documentário biográfico do Pr Ademir e quero parabeniza-los pela iniciativa. Creio que isto fará justiça à memória do fundador da CEEN, além de ser um gesto que demonstra gratidão por aquele que muito contribuiu para que a CEEN seja a igreja que é hoje. Sem dúvida alguma, esse é um sentimento nobre e valorizado pelo próprio Senhor Jesus na passagem dos 10 leprosos. Como você bem sabe, estou à disposição para contribuir, como sempre. Aproveito a oportunidade para pedir que você leia o e-mail que lhe enviei [4/7/2016] para tratar do equipamento de som do Pr. Plácido. Peco que você ajude o pastor a continuar trabalhando pela obra de Deus sem constrangimentos. Faça isso por mim e serei grato, como sempre.

Abraço meu irmão.

 

De: Robinson Valadares

Data: 9 de julho de 2016 20:41

Assunto: orem

Para: Pr. Sólon

 

 Pr. Sólon, paz.

Entendi perfeitamente suas colocações, mas posso garantir que você está equivocado por desconhecer a inteireza dos fatos. Coloco-me à disposição para, pessoalmente, lhe informar. Confirme, por favor, se pode ser no dia 11 ou 12/07, às 20h, igreja da Vila Planalto.

O pastor Carlos está responsável em receber os equipamentos dos quais tomou conhecimento.

 Na oportunidade, não entendi porque o assunto em questão foi estendido para irmãos que desconhecem o contexto da história relativa a CEEN-SP.

Fique com Deus

 

De : "Pr. Sólon"

Data: 10/07/2016 00:49 (GMT-03:00)

Para: Robinson

Cc: Venancio Santana; “Pr. Marcos"; Manoel Pr; outros

Assunto: Re: orem

 

Prezado Pr. Robison, paz!

Bom, agora fiquei interessado em saber o quanto estou equivocado, mas infelizmente não poderei comparecer à sua convocação porque não estou em Brasília.

O Pr. Plácido me enviou cópia da mensagem em que, mesmo depois da minha solicitação, o Pr. Venâncio insiste que ele devolva os equipamentos e não lhe dá ao menos a oportunidade de indenizá-los pelo preço correspondente de equipamentos da mesma marca e modelo, usados, evidentemente, uma vez que por todo esse tempo foram utilizados para a própria CEEN.

Pelo que observei no texto de sua mensagem, você concorda com o Pr. Venâncio. Isso, realmente me deixa preocupado.

O que o Pr. Plácido fez de tão grave que mereça tal tratamento? Será que em meu equívoco eu estou sendo conivente com algum pecado grave e não estou sabendo? É claro que eu não posso deixar de copiá-lo nesta mensagem, uma vez que o assunto lhe diz respeito e ele tem direito de defesa. Falar dele em secreto sem lhe dar o direito de se defender não seria nada justo, não é mesmo? Aliás, ao meu ponto de vista, isso seria repugnante, especialmente por se tratar de um pastor que muito cooperou com a própria CEEN no Estado de São Paulo.

Se mesmo assim você não puder ou não quiser me oferecer resposta por e-mail respeitarei sua decisão. Neste caso, provavelmente ficarei sem saber onde o Pr. Plácido errou. Mas, mesmo nessa hipótese, permita-me insistir: perdoe o pastor se ele não atendeu suas expectativas e o deixe seguir seu caminho em paz.

Da minha parte, mesmo sem entender onde estou equivocado, preciso informá-lo que decidi ajudar o Pr. Plácido e assumi a responsabilidade por defendê-lo, uma vez que ele adotou a Igreja Cristã Celeiros como cobertura espiritual e administrativa para levar adiante seu trabalho ministerial. Se ele errou, agora só me resta tentar ajudá-lo. Acredito que despojá-lo não é a solução. Ao contrário, parece-me algum tipo de vingança. Não consigo imaginar Jesus fazendo algo parecido. Não consigo imaginar o Pr. Ademir fazendo algo parecido. De igual modo, não consigo me imaginar fazendo algo parecido.

Amado, vamos deixar rusgas de lago e seguir em frente. Muito mais tem o Senhor a nos dar. O que houve com os lemas: "estamos juntos" e "ninguém faz nada sozinho"?

Para que eu não fique sem testemunha quanto aos meus atos, copiarei mais esta vez os pastores da CEEN, homens maduros e espirituais, na esperança de que sejam juízes deste causa entre nós. Se estou errado, quero ser julgado pelos santos:

Se algum de vocês tem queixa contra outro irmão, como ousa apresentar a causa para ser julgada pelos ímpios, em vez de levá-la aos santos? Vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo? Se vocês hão de julgar o mundo, acaso não são capazes de julgar as causas de menor importância? Vocês não sabem que haveremos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas desta vida! Portanto, se vocês têm questões relativas às coisas desta vida, designem para juízes os que são da igreja, mesmo que sejam os menos importantes. Digo isso para envergonhá-los. Acaso não há entre vocês alguém suficientemente sábio para julgar uma causa entre irmãos? Mas, ao invés disso, um irmão vai ao tribunal contra outro irmão, e isso diante de descrentes! O fato de haver litígios entre vocês já significa uma completa derrota. Por que não preferem sofrer a injustiça? Por que não preferem sofrer o prejuízo? 1 Coríntios 6:1-7

Tal julgamento certamente evitará que eu seja chamado em um tribunal para defender o Pr. Plácido por essa questão, além de servir para que todos se conheçam melhor. Afinal, hoje é o pastor Plácido que está nesta situação, mas amanhã pode ser qualquer um no lugar dele, não é mesmo?

Imagino que uma atitude misericordiosa da Presidência da CEEN neste momento apenas trará segurança, confiança e solidez ao trabalho que vocês estão dirigindo diante dos demais ministérios.

Por fim, pastor Robinson, como lhe disse, independentemene do que eu tenha que tratar com o Pr. Plácido, caso ele tenha falhado, a questão dos equipamentos deve ser tratada doravante somente comigo, fora ou dentro de um Tribunal de descrentes, uma vez que assumi a responsabilidade em relação ao seu ministério.

 Esperando merecer favor, misericórdia e reposta dos irmãos, despeço-me com a paz do Senhor Jesus.

Pr. Sólon

 

De: Robinson Valadares

Data: 11 de julho de 2016 21:11

Assunto: orem

Para: Pr. Sólon

Prezado pastor Sólon,

Pela segunda vez o amado comete novo equívoco em sua análise determinando que o problema é o pastor Plácido.

Aguardo o seu retorno e data/horário marcado para conversarmos pessoalmente como homens maduros e conscientes das responsabilidades.

Paz

 

De: Pr. Sólon

Para: Robinson Valadares

Data: 11 de julho de 2016 23:42

Assunto: Re: orem

Pastor Robinson, paz!

Como lhe disse em nosso último contato, não estou em Brasília, de modo que não tenho como resolver essa questão pessoalmente.

Bom, já estou realmente cansado dessa história. Hoje recebi, via whatsapp, outra mensagem do Pr. Plácido. Ele me mostrou nova cobrança dos equipamentos, desta vez por meio do Pr. Carlos, que disse que fez isso por orientação da CEEN. Veja, a seguir o conteúdo da nossa última conversa:

Whatsapp:

[16:40, 11/7/2016] Pr. Carlos ao Pr. Plácido:

A paz valente,

A ceen que saber que dia você pode entregar o material?

Abraço.

[16:44, 11/7/2016] Plácido Pr. SP ao Pr. Sólon

Meu caro parece que não tem jeito, aquilo que vc, Ademir e Venâncio fizeram não tem valor. Pelo jeito sou o vilão de tudo. O Carlos me enviou esta mensagem. (...)

[18:38, 11/7/2016] Plácido Pr. SP ao Pr. Sólon:

Leia o texto de lamentação 4:4. Abri aleatoriamente diante da questão se poderia entregar.

LAMENTAÇÕES DE JEREMIAS Cap. 4:4 A língua do que mama fica pegada pela sede ao seu paladar; os meninos pedem pão, e ninguém lho reparte. Bíblia Sagrada - (Mobidic)

[18:38, 11/7/2016] Pr. Sólon ao Pr. Plácido:

Entendi pastor... Mande-me cópia das notas dos equipamentos e assim que eu puder vou providenciar outros novos para a ICC de São Paulo. Diga aos irmãos da CEEN, que não param de cobrar, e que, estranhamente, atentam contra o  seu ministério  que esperem apenas até você receber os equipamentos novos.  Vamos por fim a essa questão com nossas consciências tranquilas. Da minha parte, pelo menos, você sabe que eu não mudei. Os equipamentos que forem disponibilizados à ICC de São Paulo nunca lhe serão pedidos de volta, independente do caminho futuro que você pretenda seguir. Se a CEEN não herdou esse espírito de graça e de desprendimento material que ali reinavam enquanto eu e o Pr. Ademir ali estávamos é sinal de que romperam com suas origens. Vamos em frente! Fica na paz do nosso Senhor Jesus e não desanime jamais! Estamos juntos, em palavras e ações!

Diante disso, crendo que Deus falou com o Pr. Plácido, e para não ser mais incomodado com esse assunto, especialmente agora que estou de férias, reafirmo que assim que eu souber qual a marca e o modelo desses equipamentos, vou comprar outros novos para o Pr. Plácido e devolveremos os da CEEN.

Desse modo, creio que não será mais necessária reunião para que você me diga onde está o problema. Se não é o Pr. Plácido, não sei porque a Presidência da CEEN não atendeu meu pedido em favor dele, agindo com tamanha insensibilidade ao não permitir que eu indenizasse a CEEN pelo valor dos equipamentos em vez de ter de devolvê-los.

Sugiro que você medite sobre o conteúdo da primeira mensagem enviada ao Pr. Plácido, da qual destaco o seguinte trecho:

Infelizmente, devido a distância, não tivemos tantas oportunidades de gozar um tempo de melhor qualidade, se assim tivesse acontecido poderíamos de forma transparente dialogar melhor e influenciar positivamente em sua decisão, que dirá se o precioso pastor tivesse a oportunidade em ouvir os verdadeiros planos do nosso saudoso e mestre pastor Ademir, dos quais conhecemos e, como seus confidentes, continuamos prosseguindo nas mesmas diretrizes estabelecidas para a CEEN.

Desejo que essa declaração se transforme em realidade, ao menos no futuro.

Vamos em frente! Tudo isso será apenas parte dos nossos registros históricos, razão pela qual enviarei cópia deste e-mail apenas aos pastores da Presidência da CEEN. Os demais pastores, se desejarem, poderão ter conhecimento de todos estes fatos na sessão de cartas do site Celeiros, no seguinte endereço: https://www.celeiros.com.br/news/carta-059/.

Fraternalmente,

Pr. Sólon

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!