Carta 058

11/06/2016 11:54

Em 11 de junho de 2016, (...) escreveu:

Ola PR Sólon, a paz do Senhor Jesus,

Estou preparando um esboço sobre o assunto tribunal de Cristo.

Vamos nos apresentar perante o tribunal de Cristo apos o arrebatamento para sermos galardoados.

O texto de 1Cor 5:10 diz que receberemos o bem ou o mal pelo que fizemos atraves do corpo. Igreja. ok

Minha duvida:

Quanto a recebermos o bem, ok. se estamos no céu a única coisa que podemos receber será o bem. Quanto ao mal, se estamos no céu já arrebatados, que tipo de mal podemos receber no céu? Pelo texto, ainda caberá algum tipo de disciplina lá? Entendo que seremos galardoados de acordo com nosso empenho na realização da obra de Deus. Uns serão mais recompensados que outros, mas receber o mal por não termos galardão eu não entendi.

Me ajuda ae.

(...)

Resposta, em 11 de junho de 2016:

Paz amado!

 

"Pois todos nós devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba de acordo com as obras praticadas por meio do corpo, quer sejam boas quer sejam más." (2 Co 5:10)

 
Observe que o texto não diz que receberemos o mal, mas que seremos julgados segundo o bem ou o mal que tivermos praticado enquanto crentes em Jesus.
 
Enquanto crentes, por meio do corpo de Cristo, não deixamos de fazer coisas boas e ruins. Você já deve ter notado a quantidade de irmãos que não se amam como deveriam, não é mesmo? Alguns até se odeiam... Deixar de fazer o que a palavra de Deus manda é pecar por omissão, e isso não pode ser considerado uma coisa boa. 
 

Amados, amemo-nos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.
Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, visto que Deus assim nos amou, nós também devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós. Sabemos que permanecemos nele, e ele em nós, porque ele nos deu do seu Espírito. E vimos e testemunhamos que o Pai enviou seu Filho para ser o Salvador do mundo. Se alguém confessa publicamente que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele em Deus. Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele. Dessa forma o amor está aperfeiçoado entre nós, para que no dia do juízo tenhamos confiança, porque neste mundo somos como ele. No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém afirmar: "Eu amo a Deus", mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ele nos deu este mandamento: Quem ama a Deus, ame também seu irmão. (1 João 4:7-21)

 
É verdade que no plano terreno, nossa tendência é sempre achar que bom é receber mais. Alguns chegam a ficar chateados ou revoltados quando recebem menos do que os outros. Mas, diante do Tribunal de Cristo será bem diferente. Entendo que as obras de cada um serão mostradas para revelar a perfeita justiça em relação ao galardão recebido: quem fez mais recebe mais e quem fez menos, recebe menos, segundo a justa medida do soberano Senhor. É bom lembrar que há irmãos vivendo de modo altruísta, dando suas próprias vidas pela causa do evangelho, enquanto outros seguem acomodados, desunidos, vivendo para si mesmos e buscando em Deus apenas seus interesses egoístas. Talvez, essas pessoas não consigam enxergar isso agora, mas, quando lhes for mostrado pelo próprio Deus, no Tribunal de Cristo, reconhecerão que, de fato, não merecem muita coisa e que a salvação já é um enorme prêmio. Com isso, se alegrarão e não se entristecerão, sem dúvida!
 
Certamente, diante do justo Juíz todos reconhecerão que alguns realmente merecem um galardão maior e isso não causará dor ou revolta, mas sentimento de justiça. Afinal, ser salvos do modo como vivemos, egoisticamente e em desunião, já é uma grande bênção e produto da grande misericórdia de Deus, não é mesmo?
 
Espero ter sido claro e o parabenizo por estar estudando a palavra de Deus.
 
Grande abraço,
 
Pr. Sólon

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!