Carta 048

21/08/2015 09:52

Em 20/8/2015, Jenier Serapio escreveu:

Pr Sólon, Boa Tarde!

Estive relembrando os anos passados, e reli as conversas via e-mail que tivemos desde 2013.

Naquele tempo, estava sofrendo muito, numa pressão muito grande, já havia 3 anos. Tudo pelo conflito que vivia quando congregava na Igreja Cristã Maranata.

Me desliguei em 2013 mesmo, como lhe participei. Daí, desde então, estou junto com irmãos na Primeira Igreja Batista em Lagoa Santa, uma igreja da CBB, tradicional.

Aprendi tanto da Bíblia nesse tempo, e eu que me achava um super crente, vi que não tinha quase nenhuma experiência aproveitável com a Bíblia dos meus anos de Maranata.

Trabalhei e me aprofundei tanto no sistema Batista, com cursos bíblicos, construção de igreja, culto nos lares, tesouraria e administração de igreja Batista, pois de me dei novamente ao trabalho. 

Minha esposa ficou na ICM, por mais alguns meses, mas em fevereiro de 2014 veio congregar na Igreja Batista. 

Se tornou membro, e logo se envolveu no ministério de crianças e no louvor, e hoje na escola de música (louvor) (...).

Todas as quartas temos um grupo que se reúne na minha casa, chamamos de cultos nos lares. 

(...).

Contei tudo isso, não para dizer que está tudo bem. Mas, para lhe participar o quanto o seu ministério de participar a sua experiência e o quanto Deus é bom, faz bem.

Talvez esse meu agradecimento sirva nessa hora.

Fiquei impressionado, quando reli os e-mail de nossa conversa, como as coisas que falou comigo, eu experimentei depois. 

Observo o quanto Deus nos ajuda através daquilo que passamos para auxiliar os outros. Porque naquele momento as coisas que o sr dizia eram difíceis de entender, mas hoje parecem coisas simples para mim.

Agradeço-lhe a paciência, já que vejo o quanto é dificil ter paciência com pessoas sofrendo por conceitos arraigados que possuem e não lhes estão fazendo bem, mas elas insistem em permanecer assim, era meu caso naquele momento.

A vida continua mudando. Não sei onde e como Deus vai fazer na minha vida daqui para frente. Por ser militar, estou próximo de uma transferência para outro Estado e vou observar bem para atingir os propósitos de Deus.

Observei a transformação que passou, já que me afirmou em certo momento que abrir ou iniciar um novo trabalho era loucura, mas vi que está fazendo isso. Eu guardei as palavras que me falou. Espero que lhe vá bem.

Muito obrigado por esse tempo e pelo que fez, Deus lhe conceda o pagamento.

Deus abençoe!

Jenier

Resposta, em 21/8/2015:

Prezado Jenier, que a paz do Senhor Jesus seja com toda a sua família!

 

É sempre bom receber notícias sua, especialmente porque vejo uma contínua evolução em sua jornada. Louvado seja o Senhor Deus!

De fato, de 2013 para cá passamos por contínuos aperfeiçoamentos e, mesmo assim, nosso desejo é de continuar melhorando mais e mais, não é mesmo?

 

Muitas mudanças em minha vida ocorreram por minha decisão, mas grande parte das vezes foram forçadas pelas circunstâncias. Essa é a vantagem de servirmos a Deus. Ele muda os tempos e as estações e isso nos faz promover ajustes em nossas vidas.

 

Ao ler sua mensagem, lembrei-me que Deus permite algumas aflições para nos aproximar dele, quebrar nosso orgulho e nos colocar em melhores condições de ouvi-lo e de aprender seus estatutos:

 

“Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos.” (Salmos 119:71 RA)

 

Quanto a fundar uma nova igreja, está aí algo que eu não mudei de pensamento. Continuo achando uma loucura e não aconselho isso a ninguém. Eu já sabia disso quando fundei a ICC, mas como passei por um extenso aprendizado na CEEN, foi bem mais fácil estabelecer a estrutura que tenho hoje. Certamente, eu não teria condições de fazer isso com a bagagem que eu tinha de ICM, pois ali eu era só um participante de um sistema em pleno funcionamento. Já na CEEN, tudo precisava ser criado e foi assim que eu aprendi, fazendo.

 

É claro que hoje posso me esquivar melhor dos erros do passado e isso diminui o sofrimento futuro. Por exemplo, hoje tenho plena convicção de que as pessoas precisam de uma liderança que lhes estimulem ao crescimento, mas, ao mesmo tempo, que lhes estabeleçam limites. Sem isso, ficam como filhos sem disciplina.

 

“Naquele dia, suscitarei contra Eli tudo quanto tenho falado com respeito à sua casa; começarei e o cumprirei. Porque já lhe disse que julgarei a sua casa para sempre, pela iniqüidade que ele bem conhecia, porque seus filhos se fizeram execráveis, e ele os não repreendeu.” (1 Samuel 3:12-13 RA)

 

Quem é pai sabe disso. Filhos precisam ser estimulados a desenvolverem seus talentos, devem receber todo o apoio para enfrentar desafios e necessitam ser encorajados para alçar voo. Entretanto, cumpre ao pai, também, educar, estabelecer limites e repreender seus filhos quando isso for necessário.

 

Ora, se seguirmos o conselho de Deus e observarmos o que nos ensina a sua santa palavra, o nosso esforço será menor. É isso que eu tenho experimentado hoje. Tenho muito trabalho, mas o peso sobre mim está bem menor.

  

Portanto, antes de cometer a loucura de iniciar um projeto novo (ICC), precisei de muito tempo de aprendizado, oração e reflexão até receber a resposta e a instrução daquele cuja soberania se sobrepõe às nossas vontades.

 

Vou publicar seu testemunho, pois sua experiência é muito edificante.

 

Grande abraço,

Pr. Sólon

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!