Carta 035

06/03/2015 20:35

Em 6/3/2015, Romulo Henrique Lacerda escreveu:

 

…6 Se afirmarmos que temos comunhão com Ele, mas caminharmos nas trevas, somos mentirosos e não praticamos a verdade. 7Se, no entanto, andarmos na luz, como Ele está na luz, temos plena comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. A confissão de pecados e o perdão 8Se declaramos que não temos pecado algum enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. … JOÃO 1:7 Nós clamamos pelo PODER QUE HÁ NO SANGUE DE JESUS porque precisamos de seu perdão. E sem o perdão continuamos em pecado. Porque somos pecadores e reconhecemos, mas vocês não são.

 

Resposta, em 6/3/2015:

Prezado Romulo, que a paz do Senhor Jesus seja com toda a sua casa.

 

Sem dúvida, querido! Gosto muito do texto que você referenciou!

 

É exatamente firmado no verso citado que nós temos plena comunhão uns com os outros. Eis uma boa maneira de sabermos se estamos andando na luz, não é mesmo?

 

Agora, permita-me destacar uma coisa que eu acho bastante interessante no texto de 1 Jo 1:7. Ao lermos cuidadosamente o texto, crendo que ele traz a exata expressão da vontade de Deus, é inevitável concluir que o sangue de Jesus só purifica aqueles que têm comunhão uns com os outros.

 

Vejamos o texto de 1 João 1:7, na versão Revista e Atualizada:

 

SE, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” (os destaques não constam do original)

 

Veja que interessante:

 

SE andarmos na luz, mantemos “isso” e acontece “isso”.

 

O PRIMEIRO “ISSO”:

 

SE andarmos na luz, mantemos comunhão uns com os outros”

 

Conclusão desse primeiro trecho:

 

  1. quem anda na luz mantém comunhão com os outros irmãos;
  2. quem não mantém comunhão com os irmãos, é porque não anda na luz.
  3.  

O SEGUNDO “ISSO”:

 

SE andarmos na luz, o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado

 

Conclusão do segundo trecho:

 

  1. quem anda na luz alcança a purificação por meio do sangue de Jesus;
  2. o sangue de Jesus não tem eficácia sobre quem não anda na luz;
  3. quem não mantém comunhão com os seus irmãos, não anda na luz e, por consequência, o sangue de Jesus não tem nenhuma eficácia sobre ele.

 

Observe que há uma condição (SE) para que o sangue de Jesus nos purifique de todo pecado!

 

Sim, há uma condição expressa para que o sangue de Jesus nos purifique de todo pecado: temos que andar na luz e, neste caso, a comunhão uns com os outros é consequência natural.

 

Eu sei que tal construção bíblica pode nos parecer estranha, uma vez que sabemos que o sacrifício substitutivo de Jesus nos garante o perdão de todo o pecado. Como poderia, então, haver condição para que eu seja perdoado, se eu já aceitei Jesus como meu salvador?

 

O fato é que Jesus não deve ser apenas nosso salvador. Ele deve ser, primeiro, nosso Senhor. Todas as vezes que Pedro se refere a Jesus como Senhor e Salvador, o termo Senhor sempre vem antes (2Pe 1:11; 2:20; 3:2, 18). Isso nos indica que antes de nos salvar, Jesus quer que obedeçamos seus ensinamentos. Primeiro ele é Senhor para, depois, ser nosso Salvador.

 

Vejamos se isso confere com as palavras do próprio Senhor Jesus:

 

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.” (João 14:21 RA)

“21 Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22  Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? 23 Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade. 24  Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha;” 24 Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; 25  e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. 26 E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; 27  e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.” (Mateus 7:21-27 RA)

 

Agora, vamos lembrar que o próprio Senhor Jesus nos ensinou que o segundo maior mandamento de Deus é “amarás ao teu próximo como a ti mesmo”:

 

“36  Mestre, qual é o grande mandamento na Lei? 37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 38  Este é o grande e primeiro mandamento. 39  O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 40  Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.” (Mateus 22:36-40 RA)

 

Então, se não atendermos aos mandamentos de Jesus, nós estamos desprezando o seu senhorio. E se alguém não se sujeita ao senhorio de Jesus, como poderia pretender tê-lo como salvador? Como poderia pretender valer-se de seu sacrifício em seu benefício?

 

Por isso, se não obedecermos o segundo mandamento de Jesus, o sangue de Jesus não terá eficácia sobre nós.

 

Querido, eu sei que estou dizendo o óbvio, mas sei, também, que há muitas pessoas que já leram esse texto dezenas de vezes e nunca conseguiram perceber sua principal mensagem. Veja que não é necessária nenhuma revelação especial para que possamos compreender o que já está revelado de modo claro e bem objetivo no texto expresso. Observe, também, que eu não acrescentei nada ao que está escrito.

 

 Perdoe-me por ter sido tão detalhista. Fiz isso não porque eu imagine que você não tenha entendido o texto, mas porque vou publicar sua carta, dando oportunidade a que todos os leitores do site possam refletir sobre essa questão que você abordou.

 

A propósito, não comentei sobre “clamor” porque o texto não faz nenhuma referência a isso. Preferi tratar apenas do que está expresso no texto, sem inserções ou exclusões.

 

O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.

Grande abraço,

Pastor Sólon.

 

Em 6/3/2015, Romulo Henrique Lacerda escreveu:

Amigo, comunhão significa também não criticar uma denominação por motivos pessoais.  Sendo assim, esta comunhão da qual o senhor refere é nula.  Sigam adiante, e esqueça a nossa igreja.  Por favor.

 

Resposta, em 7/3/2015:

Prezado Romulo, que a paz do Senhor Jesus seja com toda a sua casa.

 

 Certamente você está me confundindo com outra pessoa. Isso já me aconteceu antes. Observe, meu irmão, que estamos tratando de doutrinas e não de igrejas específicas.

 

Posso lhe assegurar que não tenho nenhuma preocupação com sua denominação e nem tenho motivos pessoais para isso.

 

Em todo caso, agradeço mais uma vez a sua participação. Embora você não tenha compreendido a explicação que eu lhe dei, sei que a maioria dos leitores do site celeiros têm condições de entender o que eu disse.

 

Por fim, desejo que você seja muito feliz onde está.

 

O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.

Grande abraço,
Pastor Sólon.

 

Em 8/3/2015, Romulo Herique Lacerda escreveu:

Com todo respeito, e com toda a sinceridade, Pr Solon, considerando suas palavras, fica um pouco difícil aceitar, pois este site foi indicado por um dos membros de sua Igreja, este portando um perfil nas redes sociais com o deslavado intento de denegrir a Igreja a qual sou membro.  Com fotos, vídeos, nomes de pastores, chingamentos, afirmando que é uma "ceita diabólica", dentre outras coisas.  Inclusive incentivando seus seguidores a "ESPALHAR, ESPALHAR, ESPALHAR, O MÁXIMO POSSÍVEL"!  O nome deste posso lhe passar, se for de vosso interesse, deve ter outros, mas só este me faz ter vontade de vomitar, por isto não busquei outros.  E quando entro no site do Sr, no primeiro parágrafo já vejo escrito claramente o nome de minha igreja.  Quero deixar muito claro que, não defendo placa de Igreja nem denominação, mas não sou covarde de ver um povo que serve ao Senhor ser açoitado covardemente por um moleque( este da rede social) e ficar calado.  O cão ao ver seu amigo ser atacado, mesmo se estiver amarrado, ele late pra defender, o que mostra lealdade.  Davi, ao ver seu povo ser atacado por um filisteu, não se acovardou, não sou Davi, sou apenas um servo necessitado de perdão, mas não vou me acovardar.  Vou parafrasear o pensamento de uma missionária muito séria: A INTERNET É  COMO O FOGO, PODE SER UMA BENÇÃO NAS MÃOS DO SÁBIO AO COZER PÃES, MAS UMA BOMBA NAS MÃOS DO INSANO, POIS CAUSA MUITOS ESTRAGOS.  Volto a dizer, não o congeço, mas tenho o maior respeito por vossa pessoa, mas peço que reflita sobre o usar o nome de outras denominações para alcançar objetivos que podemos conseguir de outras formas, por exemplo, joelhos dobrados.  A PAZ DO SENHOR JESUS!!

Resposta, em 8/3/2015:

Prezado irmão Romulo, que a paz do Senhor Jesus seja com toda a sua casa.

 

 Como eu havia lhe dito, já fui confundido outras vezes, por isso eu já imaginava que o seu descontentamento estava um pouco estranho. Eu tinha certeza de que você tinha me confundido com outra pessoa. Já vi, inclusive, alguns afirmando que eu seria o "Cavaleiro Veloz". Por curiosidade, eu até visitei o site dele, mas não o conheço. E, com todo respeito ao trabalho que ele faz, definitivamente, esse não é o meu estilo. Ademais, as pessoas que me conhecem sabem que eu não concordo com o anonimato.

 

Agora, veja bem, na igreja que eu fundei, Igreja Cristã Celeiros (ICC), tirando minha família, há apenas 3 pessoas que já foram da ICM. Então, vou lhe mostrar como é simplesmente impossível que o indivíduo a quem você se refere seja da ICC. Vou começar por minha família. Minha mulher, Roseli, não usa internet. Ela até tem um facebook que eu fiz para ela, mas ela não sabe usar. Minhas filhas (Rebeca, Raquel e Rute) saíram da ICM ainda crianças e não tiveram tempo para absorver aquela doutrina. Tudo o que elas sabem hoje é o que eu ensinei e eu deixei de fora tudo o que não nos interessava, de modo que elas não teriam a menor condição de criticar o que não conhecem.

 

Quanto aos 3 membros a que eu me referi são: o Manoel, o Denilson e a Lourdes. Apenas os dois primeiros usam internet, mas nenhum deles perdem tempo com essas coisas. Ambos são pessoas da minha confiança e que não guardaram nenhum rancor do passado. Se fossem pessoas ligadas ao passado, certamente não estariam comigo, pois o trabalho que eu realizo é tão diferente que não interessa a quem está ligado à ICM.

 

Quanto ao site, perdoe-me, mas não encontrei na primeira página nenhuma menção à ICM. Entre dezenas de estudos publicados, salvo engano, há apenas 3 que se referem à doutrina praticada pela Maranata (clamor, consulta e quarta trombeta). Mas, isso é residual em um contexto onde eu trato de doutrinas neopentecostais, adventistas, calvinistas, espíritas, católicas etc. Ou seja, o site enfrenta de modo franco e aberto doutrinas com as quais não comungamos, mas não enxovalha nenhuma igreja. Apenas no que diz respeito à teologia da prosperidade somos um pouco mais incisivos. Mas, se você procurar na internet, encontrará pessoas que fazem um contraponto entre o que eu defendo e o que elas acreditam. Isso é normal e eu não fico chateado quando alguém discorda de mim ou critica meus posicionamentos. Penso que cada um tem a liberdade de escolher a doutrina que melhor satisfaça a sua fé, mas é sempre bom conhecer o outro lado (o contraponto), para que tenhamos ainda mais convicção de que fizemos a escolha certa.

 

Por último, é possível que os textos que eu publiquei no passado, quando o site não era da ICC, estejam disponíveis para consulta na internet, a exemplo do meu testemunho como ex-pastor da Maranata ou de cartas respondidas no passado. Embora eu já tenha tirado esses textos do site há muito tempo, talvez eles ainda apareçam em consultas mesmo sem estar em nossa base de dados.

 

No mais, querido, confesso que tive vontade de ignorá-lo quando recebi sua primeira mensagem, mas agora vejo que valeu a pena conhecê-lo melhor e esclarecer essas dúvidas que prejudicavam a nossa comunhão.

 

O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.

Grande abraço,
Pastor Sólon.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!