Carta 017

12/10/2014 17:19

Em 12/10/14, José escreveu:

Bom dia Pr. Sólon, graça e paz!

 

Primeiro quero reiterar minha gratidão, foram poucas as vezes em que nos comunicamos, mas de muita valia, quando há 05 anos, deixei o ministério pastoral na ICM.

 

E também manifestar a minha surpresa e ao mesmo tempo, desejar que prospere, com a benção de Deus, este novo projeto, o da implantação da ICC.

 

Há quase 02 anos não acessava mais o site celeiros, fazia isto rotineiramente, logo que deixei a ICM.

 

Continuo congregando na (...), como líder de grupo, e minha família está bem integrada. No entanto, estou sem pretensões ministeriais, pois existem 02 pontos na visão da igreja que não me deixam a vontade.

 

Um deles é o MDA (modelo discipulado apostólico), oriundo da Igreja (...) e aceito pela (...) há uns 03 anos, mas há uma certa dificuldade na incorporação do modelo, tal como na sua originalidade, porém creio ser uma questão de tempo.

 

Outro ponto é sobre Dízimos e Ofertas e a forma como o assunto é exaustivamente enfatizado na igreja. Por conta disso tenho focado no meu trabalho, terminei recentemente mais um curso de especialização, comprei a parte da minha sócia numa clínica odontológica aqui em (...), apesar de manter ainda o meu consultório em (...) (interior do estado). As coisas melhoraram muito desde que chegamos em (...), mas atualmente estou descapitalizado. Ontem a noite, jantávamos na casa de uns irmãos e o assunto "Dízimos e Ofertas", veio a tona, claro que não posso manifestar minha opinião, contrária à doutrina da igreja, mas a experiência destes irmãos é muito interessante. Eles não aceitavam o dízimo, e falaram que só o dariam se chegassem a ganhar líquido 1 milhão, ele é advogado. Numa escola bíblica, eles entenderam que o dízimo estava no contexto neotestamentário e resolveram dizimar, ignorando a condição que eles haviam pré-determinado. Passado alguns dias, ele, que nem escritório de advocacia tem, recebeu em sua casa, um cliente em potencial, numa ação de 20 milhões e meio, ele pediu 5% de honorários, fechou o contrato e ganhou. Surpreendente, não?

 

E eu, descapitalizado, corri no seu site hoje de manhã, para reler mais uma vez o artigo do Dr. Ézio, sobre dízimos no contexto neotestamentário e reafirmar minhas convicções (sic).

 

Daí a minha surpresa com relação ao seu desligamento da CEEN e a publicação do seu livro, justamente sobre este espinhoso tema.

 

Vc havia me confidenciado, há quase 5 anos, que tinha um sonho, sobre escrever um livro, não imaginava que seria este o tema, na contramão do que discorrem as igrejas evangélicas contemporâneas, mas muito apropriado para os dias atuais.

 

Acabei de fazer o pedido, tanto da versão eletrônica, como da impressa.

 

No mais, te desejo muito sucesso e que Deus derrame abundantemente Suas ricas benção sobre você e sua família.

 

Grande abraço, seu irmão em Cristo,

José

 

RESPOSTA em 12/10/14

Prezado Pastor José, que a paz do Senhor Jesus seja com toda a sua casa.

 

É muito bom receber notícias suas! Fico feliz em saber que você e sua família estão bem!

 

Bom, a ICC, realmente, tem sido uma grande bênção na minha vida, pois pela primeira vez estou colocando em prática, integralmente, o pouco que consegui aprender de Deus até hoje. Eu sempre disse às pessoas que era uma loucura iniciar uma nova denominação. E, de fato, essa não era a minha vontade. Entretanto, após muito desgaste tentando mudar as pessoas, percebi que eu é que tinha que mudar. Hoje, trabalho apenas com aqueles que têm a mesma visão que eu. Parei de tentar misturar água com óleo e isso me foi um grande alívio.

 

Respeito os que querem viver debaixo da Lei de Moisés, os que querem apoiar suas vidas em experiências pessoais e, também, os neopentecostais com todas as suas variações, mas sinto-me bem melhor vivendo apenas pela fé no evangelho de Jesus, ou seja, de modo cristocêntrico. Não faço a menor questão de influenciar os que já estão convictos. Quero alcançar apenas aqueles que não sabem para onde ir e que aceitam uma sugestão bíblica sobre o caminho certo.

Como você sabe, eu conheço o seu pastor (pelo site) e não há como negar sua grande projeção no meio evangélico. Não sei sobre o MDA, mas o modo como esse ministério trata com dinheiro e finanças é exatamente o tema central do meu livro. Ao ler meu livro, você perceberá o quanto isso me incomoda, a ponto de eu apresentar um veemente protesto contra toda a teologia (declarada ou não) baseada em distorções bíblicas ou experiências extrabíblicas.

 

Quanto ao testemunho do seu amigo, fico feliz por ele. Se era isso que ele queria, recebeu, embora eu ache que um milhão é muito pouco para fazer alguém se tornar um escravo do engano e um pregador do anti-evangelho para o resto da vida. Testemunho mais impactante é o do Bispo Macedo que, de simples funcionário da Loterj tornou-se um dos homens mais ricos do mundo e hoje induz milhares de pessoas e de igrejas ao evangelho da prosperidade por meio de seu testemunho pessoal, de suas práticas religiosas místicas e por meio de sua doutrina que não se encaixa no evangelho de Jesus.

 

A propósito, deve ter sido observando o método lotérico que ele desvendou o método para fazer as pessoas arriscarem até seus poucos centavos em uma proposta tentadora. O sistema é o mesmo. Em um grande grupo de apostadores, há uns poucos que ganham uma fortuna enquanto todo o restante perde, cada um, um pouquinho. Mas, não são esses perdedores que dão seus testemunhos. Na tv e nas rádios estarão apenas os poucos que ganharam muito, para estimular os que perdem a continuar apostando a sorte e, assim, sempre haverá algum ganhador para apresentar um novo testemunho de vitória. Vejo esse mesmo cenário no ambiente religioso da prosperidade.

 

Como eu busco a Deus por outras razões, escolhi não trocar os preceitos de Jesus por nada, nada mesmo! Nesse sentido, eu diria para você não se preocupar com o momento que você está passando. Continue a trabalhar com profissionalismo e dignidade como você sempre fez e os resultados do seu esforço aparecerão no tempo certo. No meu caso, louvo a Deus pelas oportunidades que ele me deu. Procurei não perder nenhuma e hoje posso viver com dignidade sem ter que fazer da bíblia um manual para propósitos materialistas.

 

"8 Melhor é o pouco, havendo justiça, do que grandes rendimentos com injustiça." (Provérbios 16:8)

"16 Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! E mais excelente, adquirir a prudência do que a prata!" (Provérbios 16:16)

"6 Melhor é o pobre que anda na sua integridade do que o perverso, nos seus caminhos, ainda que seja rico." (Provérbios 28:6)

 

Meu irmão, perdoe-me por ser tão rigoroso em minhas palavras, mas eu não consigo trocar o testemunho de Jesus pelo de nenhum outro homem, especialmente quando parecem conflitantes. Eu simplesmente não consigo ver Jesus na história do seu amigo e creio que meu livro é suficiente para que qualquer homem sincero note que dízimo não está no contexto neotestamentário, por mais que queiramos “forçar a barra”.

 

Por fim, pastor, realizei mais um propósito que estava em meu coração, o livro, mas confesso que nem me passa pela cabeça escrever outro. Doravante, quero apenas cuidar das ovelhas que Deus permitiu que estivessem sob meu ministério. Espero, sinceramente, que o Senhor faça esse mesmo desejo brotar em seu coração novamente.

 

O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.

Grande abraço,
Pastor Sólon.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!