9 - O discípulo e o evangelismo

09/04/2015 19:49

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura". (Marcos 16.15).

INTRODUÇÃO

O que é evangelismo? Certamente você já ouviu esta expressão na sua igreja e em vários setores da cristandade. Você mesmo foi alcançado pela graça de Deus através desta magnífica obra! Evangelismo é o emprego da Palavra de Deus por todos os crentes, com o sincero desejo no coração de ganhar almas para Cristo em todos os lugares, em todo o tempo, e por todos os meios. Cada cristão autêntico, tem o privilégio de evangelizar. Todos os crentes estão autorizados e nomeados para esta nobre tarefa. Em suma, evangelizar é: pregar (Marcos 16.15); pescar (Mateus 4.19); procurar os perdidos (Lucas 15); livrar da morte (Provérbios 24.11); é cuidar das almas (Salmos 142.4).

 I. POR QUE E QUANDO DEVEMOS EVANGELIZAR

1. Todos precisam de um Salvador. Todos os homens são pecadores e precisam de um Salvador. O homem pecou e foi destituído da glória de Deus (Romanos 3.23), ou seja, ficou impossibilitado de permanecer na presença do Criador. Com a entrada do pecado no mundo Satanás tornou-se deus deste século e príncipe deste mundo. O pecador está preso pelos laços do Diabo, dominado e entregue a toda a sorte de iniqüidades. Portanto, necessita urgentemente de um Salvador. Você agora é portador desta mensagem preciosa, que propicia remissão e regeneração ao mais vil pecador. O homem só poderá crer depois de ouvir a Palavra. "Como pois invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue?" (Romanos 10.14). Enquanto não crer ele está perdido (João 3.13-36), porém quando ouve a Palavra adquire fé (Romanos 10.17), e esta comunica-lhe salvação (Efésios 2.8) e muitas outras bênçãos celestiais. Leia Marcos 16.17,18.

2. Recebemos uma ordem do Senhor Jesus. Fomos chamados pelo Senhor e separados para a nobre e suprema tarefa da evangelização (leia Mateus 4.21; João 20.21). A "grande comissão" - repetida cinco vezes, em todos os evangelhos e em Atos dos Apóstolos (leia Mateus 28.18-20; Marcos 16.15; Lucas 24.47; Atos 1.8), é o verdadeiro alvo do Novo Testamento. O "ide" de Jesus é mais do que uma ordem, é uma obrigação: "...me é imposta esta obrigação; e ai de mim, se não anunciar o Evangelho" (1 Coríntios 9.16). Isto não significa que você será forçado ou constrangido a pregar o evangelho. Mas que foi convidado pelo Senhor a fazê-lo, e o faz com dedicação, prazer e gratidão dando seu próprio testemunho de fé ao mundo.

3. Deus nos concedeu o privilégio de sermos colaboradores no anúncio de sua obra salvadora. Os anjos desejam ardentemente realizar esta tarefa, mas eles não possuem este direito. O anjo disse a Cornélio que mandasse buscar a Pedro para que viesse e pregasse o evangelho: "...manda chamar a Simão... ele te dirá o que deves fazer" (Atos 10.5,6). Os seres angelicais nada podem fazer devido à sua condição de espíritos. Mas o crente tem plena condição de realizar esta obra. A proclamação do evangelho é um privilégio que Deus concedeu a homens com o fim de se adquirir galardões. A salvação é dádiva que o Senhor concedeu aos homens, mas o galardão é recompensa que o crente obtém mediante sua atividade na obra de Deus.

4. O tempo de Deus é "agora" (Atos 17.30). "...eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação" (2 Coríntios 6.2). Por que agora?

Agora estamos vivos. Não sabemos quando seremos recolhidos pelo Senhor. Devemos realizar a tarefa que nos foi confiada "enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar" (João 9.4). Hoje em nosso país, temos plena liberdade para pregarmos o evangelho em todos os lugares. Entretanto, pode ser que no futuro, nossa liberdade religiosa seja restringida ou caçada e fiquemos impossibilitados de pregar o evangelho.

Devemos evangelizar todos os dias aproveitando todas as oportunidades. A Bíblia recomenda que preguemos a Palavra "a tempo e a fora de tempo" (2 Timóteo 4.2).

II. ONDE DEVEMOS EVANGELIZAR

Não podemos fazer cultos e pregações em todos os lugares, mas podemos ganhar almas, individualmente em todos os lugares que freqüentamos.

1. Nos cultos. Após a pregação e o apelo, os ganhadores de almas, deverão estar atentos para levar aos ouvintes uma palavra amiga e sincera. Existem pessoas que mesmo sendo convencidas pelo Espírito Santo, precisam de ajuda para fazer sua decisão. Muitos têm dúvidas, temores e diversas dificuldades internas. Nestas horas uma palavra de encorajamento é decisiva.

2. Nos lares. Jesus disse que o campo é o mundo, o mundo começa à nossa porta, no nosso próprio lar (Marcos 5.19). Os crentes primitivos evangelizavam de casa em casa (Atos 20.20). Muitas igrejas que hoje são grandes, começaram em casas particulares.

3. Nos trabalhos. Jesus chamou seus discípulos, quando eles estavam ocupados em seus trabalhos habituais (leia Marcos 1.16-19; Mateus 9.9). Nem sempre é possível evangelizar no trabalho, mas a mensagem que fala mais forte ao coração ímpio é a própria vida de quem prega. Portanto, um bom testemunho constitui-se uma poderosa mensagem.

4. Nos transportes. Nos ônibus, trens, metrôs e outros meios de transportes públicos, as pessoas normalmente estão dispostas e desocupadas, gostam de conversar e ler. Quando não podemos falar com alguém, entregar um folheto apropriado é bem oportuno.

5. Nos hospitais, penitenciárias e outras instituições públicas. A primeira providência é procurar obter a autorização para realizar o trabalho que se pretende.

Há pessoas que em boas condições de saúde e em plena liberdade jamais ouviriam o evangelho, mas nestas circunstâncias costumam ouvir de boa mente. Nunca discuta pontos doutrinários ou religião. Lembre-se! Seu objetivo é anunciar a Cristo.

 

É o Espírito Santo que capacita o crente e dá direção para a obra de evangelização.

6. Em todos os lugares. O convite da salvação destina-se a todas as pessoas em todos os lugares independente de cor, credo, religião, raça, cultura e posição social.

III. REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA EVANGELIZAR

Em primeiro lugar, o ganhador de almas precisa ter a experiência da salvação (2 Timóteo 1.12). Se o crente não tem convicção plena de sua própria salvação, como poderá convencer os outros?

1. Ler e estudar a Bíblia diariamente. "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" (2 Timóteo 2.15); "Então Filipe, abrindo sua boca, e começando nesta escritura, lhe anunciou a Jesus" (Atos 8.35). É preciso que os crentes, que desejam ganhar almas para Cristo, estudem sistemática, metódica e perseverantemente a Bíblia. Aquilo que a eloqüência, o argumento e a persuasão humana não pode fazer, a Palavra de Deus o faz quando apresentada sob a unção do Espírito Santo.

2. Ter ardente amor pelas almas perdidas. O evangelismo na Igreja primitiva era caracterizado pelo esforço constante dos crentes no cumprimento do "ide" de Jesus. Nem as proibições (leia Atos 4.18; 5.28), nem as prisões (leia Atos 5.17-20), nem as ameaças de morte puderam deter aqueles irmãos que inflamados pelo poder de Deus e pelo amor às almas perdidas, em nada tiveram suas vidas por preciosas contanto que pudessem cumprir com alegria a sublime missão que lhes fora dada pelo Mestre.

Constrangidos pelo amor de Cristo (2 Coríntios 5.14), eles não podiam deixar de falar do que tinham visto e ouvido (Atos 4.20). Se quisermos lograr êxito no evangelismo em nossos dias, a exemplo dos nossos irmãos no início do cristianismo, devemos pedir ao Senhor que nos encha o coração de amor pelos perdidos.

Assim se expressou um grande servo de Deus chamado Brainerd: "Não me importava onde ou como vivia nem as experiências duras que passava, se isto me levava a ganhar almas para Cristo. Enquanto dormia era este o meu sonho e quando acordava o meu primeiro pensamento neste grande trabalho estava."

Sem dúvida alguma, a força que move o evangelismo é a compaixão. Sem ela, o evangelho do evangelista se torna frio, rotineiro e secularizado.

3.Ter vida santa, separada para Deus. "Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado."; "Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão." (Salmos 51. I 2,13). Muitos crentes trabalham à toda força e não há frutos. Qual é a razão? O pecado é um impedimento à conversão de pecadores.

Se estivermos em pecado, se não estivermos em comunhão com Deus, se estivermos nos descuidando da leitura da Bíblia e da oração, fatalmente teremos o coração de pedra e nosso trabalho não frutificará.

4. Aprender com o Mestre Jesus. Leia João 4. 1-30 e acompanhe os passos do nosso amoroso Salvador evangelizando a mulher samaritana.

a) Jesus aproveitou a oportunidade - embora cansado (v.6) e faminto (v. 8) , pregou. Ele teve amor e espírito de sacrifício, tudo por uma alma perdida.

b) Ele esperou o momento de estar a sós com a mulher (v.8).

c) Ele não se importou com os preconceitos raciais, sociais ou religiosos (vv.9,10). Leia Efésios 2.13-19.

d) Entrou logo no assunto da necessidade espiritual da mulher (v.7).

e) Não se afastou do assunto da salvação e nem se desviou de seu objetivo (vv.9-13).

f) Jesus fez a samaritana entender que era uma pecadora (v.16).

g) Não atacou seus defeitos nem a condenou (v.18).

h) Jesus mostrou compaixão e interesse na vida da mulher.

5. Ser cheio do Espírito Santo. A ordem de Jesus à Igreja em Mateus 28.20, para pregar o evangelho, está intimamente ligada à afirmação anterior:

“...é me dado todo o poder no céu e na terra” (v.18), e também na afirmação posterior: "Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos" (v.20). Essa promessa foi cumprida na pessoa do Espírito Santo. A presença de Jesus com os discípulos foi trocada pela onipresença do Espírito Santo, que está em toda parte. Leia Lucas 24.49; e Atos 1.8.

O apóstolo Pedro fraco e tímido antes do Pentecoste, tornou-se em coluna após o revestimento de poder. É o Espírito Santo que capacita o crente e dá direção para a obra de evangelização

DISCIPULADO

Como discípulo de Jesus e pregador do evangelho, você precisa estar convicto que fora do evangelho não há esperança, não há remédio nem solução para as almas, e os crentes têm esse poder. Deixar de partilhá-lo é contribuir para que as almas se percam.

Para podermos evangelizar apaixonadamente, precisamos ter a capacidade de ver as multidões como que através dos olhos de Jesus - como ovelhas sem pastor, desgarradas, errantes e sofredoras. Se assim não for, nosso trabalho de evangelização se tornará frio, rotineiro e secularizado, pecando por excesso de organização por um lado, e, por outro, pela falta de amor e unção do Espírito Santo.

 

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

Subsídio bibliológico

"'Deus nos deu o ministério da reconciliação e também pôs em nós a palavra da reconciliação, de sorte que somos embaixadores da parte de Cristo (2 Co 5.18-20).

"A importância do trabalho que Deus confiou à Igreja ê tão grande que, biblicamente, é descrito como:

1. Um mandamento que o Senhor nos deu (Mt 28.19,20; Me 16.15-18). “O Senhor ordenou pregar o Evangelho, pois Ele quer que a sua mensagem atinja a toda a criatura (Mc 16.15), a todas as nações (Mt 28.19), a todo o mundo (Mc 16.15), a todas as aldeias (Mt 9.35), a todo o lugar (At 17.30). Ele amou o mundo..: (Jo 3.16), e quer que 'homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação' (Ap 5.9), '...venham a arrepender-se' (2 Pe 3.9), '...se salvem, e venham ao conhecimento da verdade' (1 Tm 2.4).

"'Todos os crentes" sem exceção, receberam esta incumbência do Senhor (1 Pe 2.9; Ml10.8). Alguns receberam a determinação de começar a trabalhar de madrugada, outros na terceira hora, isto é, às 9 horas; outros perto da hora sexta, ou seja, entre 11 e 12 horas; e outros perto da hora undécima, isto é, faltando apenas 1 hora para terminar o dia (os judeus contavam o penado diurno das 6 horas da manhã às 6 horas da tarde) (Mt 20.1-6).

2. "Uma obrigação de todo salvo. “...me ê imposta esta obrigação; e ai de mim, se não anunciar o Evangelho' (1Co 9.16). Esse texto não significa que o crente deva pregar a palavra constrangido ou forçado; e sim que, por se tratar de uma testemunha do Senhor Jesus (At 1.8), foi convidado para testificar da salvação (At 26.22), a fim de que os que ouvirem seu testemunho possam saber a razão da esperança que há nele (1 Pe 3.15). Somente o crente pode afirmar com convicção quem ele era, quem ele é, e quem ele será, ou seja: era um perdido pecador (Rm 3.23), candidato à morte eterna (Rm 623; Ap 21.8) e à condenação (Jo 5.24); porém, hoje, é um pecador remido (TI 2.14), libertado por Jesus (Jo 8.34); e, no futuro, estará eternamente na presença do Senhor (1 Ts 4.17), nos céus (Fp 3.20), possuindo um corpo imortal e incorruptível (1 Co 15.51¬54)." (Manual de Evangelismo, CPAD, págs.11,12)

Subsídio doutrinário

"'O evangelismo é agência do Espírito Santo na experiência pessoal de conversão e na propagação da mensagem do evangelho. Lembremos que a evangelização não frutifica pela eficácia de sua programação humana, pelos recursos da técnica de promoção; e que podemos falar até esgotar o fôlego de nosso aparelho de fonação, podemos escrever até que não haja mais papel e tinta para escrever, mas se a obra não vier por força do Espírito Santo, será como metal que soa e voltará todo esforço vazio e infrutífero.

"Quando surgem tantas teorias e tantas correntes, as mais variadas, uma verdadeira confusão de doutrinas sobre a salvação, havemos de voltar a estas estacas basilares do evangelho de Jesus Cristo e de nas lembrar de que só pelo poder de Espírito Santo podemos anunciar este evangelho.

Ninguém converte alguém. Ninguém faz germinar a fé. Ninguém convence o próximo do pecado. Ninguém tem palavra capaz de comunicar a mensagem do evangelho de maneira a ser penetrante no coração incrédulo. Isto vem do Espírito Santo. Não existe evangelismo eficaz que não seja um evangelismo com base no poder indispensável do Espírito Santo." (Evangelismo, Missão de Todos Nós, CPAD, págs. 25 e 26)

GLOSSÁRIO

Constrangido: Forçado.

Cristandade: É a coletividade cristã em todas as partes do mundo.

Destituído: Privado de autoridade ou dignidade; exonerado.

Eloqüência: Capacidade de falar e exprimir-se com facilidade.

Lograr: Gozar; obter, desfrutar.

Metódico: Que tem, ou em que há método; comedido.

Persuasão: Ato ou efeito de persuadir, convicção, certeza.

Propiciar. Tomar propício, favorável.

Regeneração: Ato ou efeito de regenerar; dar nova vida a; revivificar.

Remissão: Compensação, paga, satisfação; perdão total dos pecados.

Restringir. Tomar menor; diminuir, encurtar, reduzir.

Secularizar. Amoldar-se aos princípios do mundo atual.

Sistemático: Ordenado, metódico.

 

VERIRQUE O QUE VOCÊ APRENDEU

1. De acordo com o estudo desta lição, o que é evangelismo?

 

 

 

2. Por que devemos evangelizar?

 

 

 

 

3. O que a Bíblia recomenda a respeito do ''tempo'' de pregar a Palavra?

 

 

 

 

4. Qual o principal requisito necessário à evangelização destacado nesta lição?

 

 

 

5. Quem é que dá direção e capacita o crente para a obra de evangelização? 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!