5 - O discípulo e a tentação

09/04/2015 19:44

"Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta" (Tiago 1.13).

INTRODUÇÃO

Por intermédio da tentação, o pecado entrou no mundo. Ela não procede de Deus, mais é permitida por Ele, até o ponto que você possa suportá-la, para provar o seu grau de obediência e amor a sua Palavra. Veja o que nos diz Tiago: "Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam" (1.12).

Mas, afinal de contas, o que é tentação? São pensamentos que invadem a mente humana e tentam seduzi-Ia para a prática do mal, que contraria a vontade de Deus. É, portanto, de procedência maligna. Ela não se constitui em pecado, se não for consumada. Às vezes, surge como algo vantajoso, ou seja, uma oportunidade que não pode ser desperdiçada. Neste momento, você deve examiná-la e constatar que, em princípio, se ceder àquela vontade, você será o único prejudicado. Por isso, Jesus recomendou: "Vigiai e orai, para que não entreis  em tentação: na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26.42). O próprio Filho de Deus foi o mais tentado de todos os homens, mas venceu a todas, porque sempre viveu em jejum e oração. Após ser batizado nas águas do rio Jordão, Jesus foi conduzido pelo Espírito Santo, para um período de preparação, antes de iniciar o seu ministério terreno. Depois de 40 dias sem comer, o Diabo apareceu e propôs-lhe que transformasse pedras em pães. Cristo respondeu: "Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus" (Mateus 4.4). Por mais duas vezes, nesta ocasião, Satanás empenhou-se para que Cristo cedesse às tentações propostas, mas não conseguiu. Se vigiarmos e orarmos, estaremos preparados, assim como o Salvador, para vencer a todas as investidas do Inimigo.

I. AGENTES DA TENTAÇÃO

Agentes da tentação são os meios pelos quais o cristão é seduzido para pecar contra Deus. Eles atuam como uma força ativa, que tenta lhe afastar Deus pela prática do pecado. Por seu intermédio, os crentes aprendem a ser pacientes, caso não permitam que estes poderes os dominem. Mas Jesus nos garante a vitória porque Ele sempre foi vencedor e nos afirmou: "Tende bom ânimo, eu venci o mundo" (João 16.33). Os principais agentes são:

 

Tentação:

São pensamentos que invadem a mente humana e tentam seduzi-Ia para a prática do mal, que contraria a vontade de Deus. É, portanto, de procedência maligna. Ela não se constitui em pecado, se não for consumada.

1. O Diabo. Lúcifer era o ser celestial de maior projeção entre os anjos, criados por Deus. Desejoso de tornar-se igual ao seu Criador, formou um bem equipado exército angelical e marchou contra o Todo-poderoso. Derrotado, foi destituído de sua glória e de anjo de luz, o significado de seu antigo nome, transformou-se em príncipe das trevas. Assim, foi expulso da presença de seu Senhor. Indignado, declarou-se o maior inimigo de Deus, e passou a ser chamado Satanás, que significa adversário.

Consumido pela inveja, o Diabo arquitetou um plano para derrubar o homem, o ser criado à imagem e semelhança de Deus. Usou a serpente, um dos animais que habitavam no Jardim do Éden e, por meio da tentação, conduziu Adão e Eva e seus descendentes à condenação eterna. Abra sua Bíblia, e leia Gênesis 3.4,5.

O Diabo atua sorrateiramente, de maneira que nem percebemos ser ele o mentor de muitas tentações com as quais deparamos no nosso dia-a-dia.

Abra novamente sua Bíblia, leia 1Pedro 5.8, e complete as lacunas:

"Sede sóbrios; vigiai; porque o ___________, vosso adversário, anda em ______________, bramando como leão, buscando a quem possa _____________________.

     "Mas a vitória é nossa: pelo sangue de Jesus".

     2. O mundo. O apóstolo João, escreveu o seguinte: "Sabemos que somos de Deus e que todo o mundo está no maligno" (1 João 5.19). A expressão final deste versículo diz: "que todo o mundo está no maligno". Isto significa que Satanás, ao ser expulso do Céu, estabeleceu a sua morada nos ares, de onde comanda as ações dos demônios entre os homens. Então, a fertilidade da mente humana, irrigada pela maldade satânica, tem criado meios que chamamos de mundanismo, os quais conduzem a humanidade à perdição.

Leia Tito 2.12 e responda:

1. Quais concupiscências o crente deve renunciar?

2. Como o crente deve viver neste presente século?

Com a queda do homem, por meio da tentação no Jardim do Éden, a natureza humana ficou sujeita ao pecado. Por si só, o ser humano não é capaz de vencer as muitas tentações que o atacam no decorrer de sua vida terrena, à semelhança de um vírus que se prolifera rapidamente quando encontra o local apropriado. A tendência para o pecado está impregnada em todo o seu ser. Só mediante o sepultamento do velho homem, conseguimos restabelecer a natureza decaída, por meio do novo nascimento. Assim, as forças que o dominavam são destruídas e você passa a viver em novidade de vida.

O Espírito Santo, através da mensagem bíblica renova o homem interior.

3. A carne. A sensualidade manifesta-se através da carne. Ela declara guerra ao espírito que deseja agradar a Deus. E sempre é a vencedora. Só conseguimos vencê-la, por meio da mortificação, alcançada por intermédio da oração, consagração e do jejum.

Se a carne não estiver subjugada ao espírito, por intermédio da ____________________ e do ­­­­­­­­­­­­­­­­­______________________, jamais o crente vencerá as tentações, pois ela atua como um veículo que conduz o crente à prática do pecado.

Leia Trago 1.14 e 15, e complete:

"Mas cada um é           ___________________________ quando atraído e engodado pela _________________________. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte".

II. A TENTAÇÃO SE MANIFESTA ATRAVÉS

1. Do Corpo. O homem possui necessidades básicas e, por intermédio dos instintos de sobrevivência, ele procura satisfazê-las. Até aí, tudo bem: não há nada de anormal nisso! No entanto, o corpo se torna um dos principais veículos para a consumação da tentação, por causa do desejo desenfreado que domina em conseqüência do pecado. Agora, o seu corpo é santo e o que você faz, por meio dele, contribui para a sua santificação: o sexo no casamento, a alimentação, a água, o nosso trabalho, etc., é de grande valia para sua existência. Tem, portanto, a aprovação divina. Não faça como o irmão mais velho de Jacó. Esaú, por causa da fome, rejeitou a sua primogenitura e a trocou por um prato de lentilha. Leia Gênesis 25.32 e 34. O corpo, portanto, foi o instrumento eficaz para tomar do filho mais velho de Isaque o direito da bênção patriarcal.

2. Da alma. Sabemos que a alma (mente, emoções e vontade) percebe o mundo exterior por meio dos sentidos que estão no corpo. Como recebe constante influência do meio exterior, contaminado pela influência das trevas, nossa alma também deve ser “lavada” pela operação da Palavra de Deus para, assim, alcançar a autêntica purificação. Trata-se de um processo de purificação do homem interior pela palavra de Deus, pois a mente humana pode ser atraída pela sedução do mundo das trevas e se deixar levar voluntariamente pela instabilidade das emoções. Por isso, para que não tomemos a forma deste século, devemos deixar que a palavra penetre nossa alma e transforme a nossa mente.

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2 RA)

 

III. COMO VENCEMOS AS TENTAÇÕES

     1. Resistindo. Sabemos que o Diabo é o mentor da primeira tentação, no Jardim do Éden, ocasião em que os nossos primeiros pais acreditaram nas palavras dele e foram destituídos da glória de Deus. Hoje, com a ajuda do Espírito Santo e o revestimento de poder, temos de resistir às astutas ciladas de Satanás que investe contra nós para nos derrubar. Tiago, no capítulo 4, versículo 7, declara: "Sujeitai-vos pois a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós". Só mediante esta sujeição à vontade do Senhor é que conseguimos vencer o Inimigo no seu intento de nos destruir. E esta vitória é alcançada através da oração, da leitura da Bíblia e da estreita comunhão com o nosso Criador.

2. Fugindo. Há um ditado popular que declara: "Mente vazia é oficina do Diabo". Estejamos sempre ocupados na realização de alguma coisa boa, para que o Diabo não se aproveite da situação e nos induza à tentação. Não é covardia de nossa parte fugirmos da oportunidade de pecarmos.

Sublinhe a expressão correta: Fugir da tentação é:

Covardia ou prudência

Fraqueza ou fortaleza

Vontade de Deus

Quanto ao Diabo a ordem é resistir, e quanto à tentação é ___________________.

3. Reavaliando-se. A cada dia que se passa em nossa vida devemos fazer uma introspecção para constatarmos qual o grau do nosso crescimento espiritual. Se algo nos impede de sermos mais santos hoje do que fomos ontem, é o momento propício de mudarmos de atitude, a fim de que a nossa santificação seja uma constante até o fim de nossa jornada aqui na Terra. A Bíblia nos recomenda em Apocalipse 22.11: "Quem é santo, seja santificado ainda".

Não nos esqueçamos que "o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado". Se, porventura, a tentação conseguir vencê-lo, não se desespere. Confesse sua falta a Jesus, peça-lhe perdão, e amadureça, para que possa suplantá-la na próxima vez que ela se apresentar!

DISCIPULADO

1. Um velho ditado afirma: "Há males que vêm para o bem". A tentação é um deles. Se ela vier, não se desespere. Aproveite para orar mais, jejuar e ler a Bíblia. Você é um vencedor. Jesus foi o mais tentado de todos os homens e jamais foi derrotado.

2. Entregue completamente a sua vida nas mãos de Deus e seja vitorioso em todas as situações difíceis de sua vida.

3. Não se esqueça que a tentação só se caracteriza em pecado quando você cede à sua vontade. Por isso, é conveniente fugir sempre de pessoas, objetos e lugares que nos conduzem à tentação.

 

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

Subsídio bibliológicos

"Não veio sobre nós tentação senão humana; mas Deus é fiel, e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos dará livramento, de sorte que a possais suportar" (1 Coríntios 1.13). Observando o texto citado, compreendemos que as tentações que nos sobrevêm são de caráter humano, ou seja, tentação carnal, causada pelo contato diário com o mundo em geral e nos sobrevêm pela vista, pelo ouvido, pelo pensamento e pelo tato, especialmente.

Aqui temos o por quê do ensino de Jesus, dado como mandamento: "Se a tua mão te escandalizar", "Se o teu olho te servir de tropeço", ou se for "o teu pé que te sirva de motivo de escândalo", lança-o fora de ti (Mateus 9. 42-50). Quer isto dizer que eu deverei amputar mão, pé e ainda arrancar um dos meus olhos? Sim e não. Isto é absolutamente verdadeiro figurativamente - quer dizer, ao sentir o órgão de nosso corpo induzindo-nos à prática do mal, devemos instintivamente mudar a sua posição em sentido contrário àquele em que está! E absolutamente não significa que devamos amputar mão, pé e arrancar olhos, etc.

Deste modo, se as tentações nos sobrevêm pelos olhos, devemos olhar em outra direção, e pedir a Jesus que purifique os nossos olhos, a fim de não nos servirem de tropeço. "Olhando para Jesus, Autor e Consumador da fé" (Hebreus 12: 3) é a posição correta para nossos olhos de crentes nEle. Se o nosso pé nos quer conduzir por caminho perigoso, retiremo-lo dali - "desvia o teu pé do mal" (Provérbios 1: 15) e "Guarda as veredas do juízo e conserva o caminho dos seus santos" (Provérbios 2: 8). Porque "este é o caminho, andai nele sem vos desviardes nem para a direita, nem para a esquerda" (Isaias 30.21).

Assim sucessivamente, em qualquer tentação que nos encontrarmos, saibamos que ela nos sobrevém para nos provar a fé, e nunca nos esqueçamos de que são "bem-aventurados os que suportam a tentação, porque após serem assim provados, receberão a incorruptível coroa da vida, que o Senhor prometeu ao que O ama" (Tiago 1. 12). Desde que o Espírito Santo ensina que são bem-aventurados os que sofrem a tentação, logicamente concluímos que a tentação em si mesma não é pecado, e sim um meio de prova, portanto, de aperfeiçoamento do nosso caráter espiritual! Daí também a promessa do Senhor: "com a tentação vos darei o escape para que a possais suportar" - 1 Coríntios 10. 13". (Uma Palavra aos Novos Convertidos, CPAD)

Eis, portanto, nossa oração:

“perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve; e não nos deixes cair em tentação.” (Lucas 11:4 RA)

“e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!” (Mateus 6:13 RA)

 

GLOSSÁRIO

Concupiscências: Desejo intenso de bens ou gozos materiais; apetite sexual.

Desenfreado: Tirar o freio, soltar.

Irrigada: regada.

Mentor: Mestre; conselheiro; guia. Procedência: Origem;

Projeção: Importância; valor Prolifera: reproduzir; aumentar.

Regeneração: reconstituir

Sorrateiramente: tomado por astúcia.

Subjugada: dominada; vencida, refreada.

 

VERIFIQUE O QUE VOCÊ APRENDEU

1. Quem introduziu a tentação no mundo?

 

 

 

2. Quais são os agentes da tentação?

 

 

 

3, Por intermédio de quem se manifesta a tentação?

 

 

 

4. Como vencemos a tentação?

 

 

 

5. É um ato de covardia fugir da tentação, ou é a manifesta vontade de Deus? 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!