4 - O discípulo e a impureza

09/04/2015 19:44

"E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro" (1 João 3.3).

INTRODUÇÃO

A vida cristã exige constante vigilância, perseverança e santidade do discípulo em sua caminhada a Nova Jerusalém, onde só os puros habitarão (Apocalipse 21.27). Todavia, a Escritura declara que "a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito" (Provérbios 4.18). Você, ao aceitar Jesus como seu Salvador, iniciou a jornada para o Céu e, passo a passo, o Espírito Santo o ajuda a palmilhar este glorioso, difícil e estreito caminho: o da renúncia completa de si mesmo, através da purificação contínua do espírito, da alma e do corpo, para que alcance a perfeição em Cristo Jesus. Nesta lição você conhecerá o maior obstáculo à santificação do cristão: a impureza.

I. A IMPUREZA, UM OBSTÁCULO À SANTIFICAÇÃO

Os dicionários definem o termo impureza como: "sujeira; contaminação; imundícia; pecaminosidade; mácula", etc. Assim, o que se encontra em estado de impureza está ou é impuro, imundo, contaminado, sujo, sórdido, sensual, lúbrico, inquinado, imoral, obsceno, etc.

1. Israel, um povo chamado para ser santo. O Antigo Testamento enfoca a impureza no sentido físico e moral. Os pagãos eram considerados impuros porque não conheciam os preceitos dos hebreus quanto aos alimentos, à limpeza dos utensílios domésticos, etc. Eram considerados imundos também os que tocassem em cadáver humano ou de animal, os leprosos e os que tivessem fluxo sangüíneo ou purulento; a mulher, durante a menstruação e após o parto (de menino, 40 dias; de menina 80). Leia Levítico capítulos 11,12,13 e 15.

Você deve estar perguntando o porquê deste cerimonial de purificação, ao qual o povo hebreu tinha de submeter-se. Considere: Israel havia sido escolhido por Deus para ser um povo santo, separado dos povos pagãos entre os quais habitava. Estes praticavam toda sorte de imoralidade e cultuavam várias divindades obscenas (na verdade, demônios). Não faziam distinção entre o puro e o impuro. Viviam nas trevas da ignorância e do pecado. Todavia, o Senhor, desde o pecado de Adão, no Éden, prometera a redenção da humanidade, através da semente da mulher (Gênesis 3.15). Por meio de Israel, Jeová tornar-se-ia conhecido como o verdadeiro objeto de adoração de todos os povos. O Senhor exigia santidade. Ser santo era um imperativo para Israel. Significa apartar-se da impureza.

Leia Levítico 20.26.

A impureza é um obstáculo à santidade e promove a separação entre Deus e o homem. Leia Isaías 59.2.

2. A Igreja, uma noiva imaculada. Tal como para Israel, o imperativo moral do Evangelho é a santificação. A Igreja é santa, imaculada (Leia Efésios 5.25-27). Seus membros não podem contaminar-se com as práticas impuras do mundo e do seu príncipe, que foram julgados e condenados, pela morte expiatória de Cristo (Leia João 12.31). Porém, o cristão não é obrigado a cumprir os rituais de purificação dos hebreus, porque já está purificado pelo sangue de Jesus (Leia 1 João 1.7; Apocalipse 1.5). Estamos debaixo da graça e não da lei; e pela graça fomos salvos (Leia Efésios 2.7-9). Cumpre-nos andar em santidade, apartados de toda forma de impureza, pois somos a Igreja de Cristo, comprada com seu precioso sangue. Não podemos entregar nosso corpo à prostituição, à impureza, à lascívia, pois somos o templo do Espírito Santo (Leia 1 Coríntios 6.15-20).

II. MODELOS DE IMPUREZA

A vida de pureza é um imperativo para o crente. Fuja da impureza, em qualquer forma que se lhe apresentar. Veja alguns exemplos:

1. Olhos impuros. (Leia Mateus 6.22,23). Os olhos e os ouvidos são portas por onde entram imagens e informações que contaminam o homem. Por isso, cumpre-lhe preservá-los de ver e ouvir coisas que podem causar-lhe a interrupção da comunhão com o Senhor.

A Bíblia relata o triste episódio na vida do rei Davi, o homem segundo o coração de Deus (Leia 1 Samuel 13.14; Salmo 89.20). Seus olhos, cheios de concupiscência, viram a mui formosa mulher de Urias a banhar-se em um de seus aposentos. O rei, levado pelos desejos impuros do seu coração, mandou seus mensageiros trazê-la a sua presença e adulterou com ela. Na seqüência dos fatos, mandou Urias para a frente da batalha, para ser morto (2 Samuel 11.2-5). Este pecado trouxe graves conseqüências à casa de Davi e a todo o Israel. Isto ensina que quando os líderes pecam, a Igreja sofre. Os crentes precisam manter os olhos e ouvidos puros, afastados de tudo o que possa corrompê-los.

A impureza é um dos instrumentos usados por Satanás, através dos meios de comunicação, para corromper a humanidade: filmes, novelas, Big Brothers e similares, revistas, sites e programas pornográficos têm trânsito livre na sociedade moderna. Talvez você pergunte: "Como posso manter-me puro, em meio a tantos apelos aos desejos da carne?" A Bíblia tem a resposta. Leia Salmos: 101.3,6 e Salmos 119.9.

“De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra.” (Salmos 119:9 RA)

 

“3  Não porei coisa injusta diante dos meus olhos; aborreço o proceder dos que se desviam; nada disto se me pegará. 4  Longe de mim o coração perverso; não quero conhecer o mal. 5  Ao que às ocultas calunia o próximo, a esse destruirei; o que tem olhar altivo e coração soberbo, não o suportarei. 6  Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda em reto caminho, esse me servirá.” (Salmos 101:3-6 RA)

 

Você pode vencer as tentações se permanecer firme no caminho do Senhor, renunciando a toda espécie de impureza e guardando a Palavra de Deus no seu coração (Salmo 119.11). Mantenha os olhos sempre voltados para Jesus, autor e consumador da fé, e corra com paciência a carreira que está proposta (Hebreus 12.1,2).

Você pode vencer as tentações se permanecer firme no caminho do Senhor, renunciando a toda espécie de impureza e guardando a Palavra de Deus no seu coração (Salmo 119.11). Mantenha os olhos sempre voltados para Jesus, autor e consumador da fé, e corra com paciência a carreira que está proposta (Hebreus 12.1,2).

2. Desejos impuros. Não são apenas os desejos sexuais ilícitos que contaminam o homem. O apóstolo Paulo, escrevendo aos Gálatas, relaciona no capítulo 5.19-21 as obras da carne, as quais impedem a recepção da herança do reino de Deus. Veja: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, etc. O fim dos que a praticam é o Inferno, a condenação eterna. Porém, contra estes males há o antídoto infalível: o sangue de Jesus, que nos purifica de todo o pecado (1 João 1.7).

Lavados no sangue de Jesus, e cheios do Espírito Santo, os crentes produzem o fruto do Espírito: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (Gálatas 5.22,24,25).

O que anda em Espírito não satisfaz a concupiscência da carne, a qual se traduz por pornografias, sexo ilícito (adultério, fornicação, contatos íntimos eventuais ou não entre pessoas não casadas), e pervertido (sodomismo - homossexualismo praticado por homens - e lesbianismo, por mulheres); pelo uso do fumo, bebidas alcoólicas, jogatinas e toda espécie de drogas, que destroem o corpo e jogam a alma no Inferno. Fujam destas impurezas!

III. COMO PERMANECER PURO

Não é fácil, mas é possível. Tenha sempre em mente as palavras do apóstolo Pedro: "Sede sóbrios; vigiai; porque, o Diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar. Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre vossos irmãos no mundo" (1 Pedro 5.8,9). Eis aí o segredo da vitória: resistir ao Diabo, firme na fé.

O apóstolo Paulo adverte os crentes em Éfeso, contra as astutas ciladas do Diabo. Não é fácil manter-se puro diante de tantas artimanhas satânicas, em um mundo que "jaz no Maligno". Porém, revestido com a armadura de Deus e firme no combate, tendo os lombos cingidos com a verdade, envergando a couraça da justiça, calçando os pés na preparação do Evangelho da paz, embraçando o escudo da fé; podemos "apagar todos os dardos inflamados do Maligno" (Efésios 6.10-16). Os versículos 17 e 18 enfatizam que devemos tomar (usar) o capacete (a certeza) da salvação, e manejar a espada do Espírito, a Palavra de Deus. Neste combate, é indispensável a oração e súplica no Espírito; vigilância e perseverança. O apóstolo João afirma que podemos vencer o mundo, por meio da fé (1 João 5.4). Desta forma, o cristão pode permanecer puro diante do pecado "que tão de perto nos rodeia" (Hebreus 12.2):

1. Crucificando a carne (Leia Gálatas 2.20). Neste versículo, Paulo declara que está crucificado com Cristo e vive pela fé no Filho de Deus.

A crucificação, em sentido figurado, do crente com Cristo deve ser um ato constante, no seu cotidiano. Isto significa renúncia completa à vontade própria, aos desejos impuros, aos prazeres da carne. Tal crucificação só é possível aos que vivem uma vida de plena comunhão com o Senhor, através da fé, da meditação na Palavra de Deus, da oração e constante vigilância espiritual.

O crente está crucificado com as suas paixões e impurezas, e a sua vida está escondida com Cristo em Deus (Colossenses 3.3). Leia também Colossenses 3.5,6.

A santidade de Deus exige a crucificação completa das nossas paixões e desejos impuros.

2. Desviando os olhos do mal. A Escritura adverte: "Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo, e se escoa suavemente. No seu fim morderá como a cobra, e como o basilisco picará" (Provérbios 23.31 ,32). Nestes versículos, o vinho é apresentado como algo tentador, agradável aos olhos, pronto a satisfazer o desejo do homem. No início é suave e delicioso, escoa-se facilmente; depois, seguem-se os seus efeitos negativos (Provérbios 5.3-6; 6.20-29, 32,33).

O vinho embriaga a sua vítima, embota-lhe os sentidos, envenena-lhe o corpo e a alma, e, não, raro, leva-a a ruína completa; às vezes, à morte. Assim é o pecado em todas as suas formas. Leia provérbios 4.19; 14.12.

 Desvie os olhos de tudo o que lhe possa contaminar, ande no caminho dos justos, até que chegue à perfeição em Cristo, na eternidade (Colossenses 3.1-4).

3. Renovando-se no espírito. A salvação é imediata, ocorre quando o pecador se arrepende dos seus pecados e aceita Jesus Cristo, como Senhor e Salvador. Neste exato momento, ele é selado com o Espírito Santo, para o dia da redenção (Efésios 4.30). Não obstante, a santificação é progressiva, na medida em que você, através da oração e da inteira devoção a Deus, vai abandonando as práticas pecaminosas.

Este processo assemelha-se ao romper da aurora, que acontece gradativamente: primeiro as trevas da noite, depois a madrugada, e finalmente, a luz plena do dia, o Sol no seu apogeu. A Bíblia declara: "O caminho do justo é como a luz da aurora ...". Assim, também, a santificação: o Espírito Santo, vai aperfeiçoando o caráter do crente, santificando-o continuamente. Como o fogo que purifica a prata e o ouro das suas escórias, Ele lhe purifica, santifica, e renova a cada instante. Contudo, cabe ao crente renunciar a si mesmo, crucificar as suas paixões e renovar-se no espírito, como ensina a Escritura em Efésios 4.22-24, 25-32.

DISCIPULADO

1. Peça forças a Deus para você fazer completa renúncia às obras da carne, as quais constam da lista de Gálatas 5.19-21. A santificação é instantânea na salvação, mas, também, um processo gradativo, no qual o cristão é aperfeiçoado pelo Espírito Santo, durante toda a sua vida.

 2. Viva em santidade, desviando os seus olhos do mal, ensurdecendo os seus ouvidos e cerrando os seus lábios às palavras e às conversações torpes. Apesar dos constantes apelos à sensualidade feitos pelos meios de comunicação (jornais, revistas, programas e filmes pornográficos de cinema e televisão, bem como pelos comerciais).

3. Fuja da impureza em todas as suas formas. Saiba que o caminho é estreito, espinhoso, mas glorioso e conduz à vida eterna com Cristo. O discípulo de Jesus está crucificado para o mundo.

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

Subsídio teológico

"A santificação no Antigo Testamento foi a vontade manifesta de Deus para os israelitas; eles tinham o dever de levar uma vida santificada, separada da maneira de viver dos povos à sua volta (ver Êx 19.6; Lv 11.44; 19.2; 2 Cr 29.5). De igual modo a santificação é um requisito para todo o crente em Cristo. As Escrituras declaram que sem santificação ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).

Os filhos de Deus são santificados mediante a fé (At 26.18), pela união com Cristo na sua morte e ressurreição (Jo 15.4-10; Rm 6.1-11; 1 Co 1.30), pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7-9), pela Palavra (Jo 17.17) e pelo poder regenerador do Espírito Santo no seu coração (Jr 31.31-34; Rm 8.13; 1 Co 6.11; 1 Pe 1.2; 2 Ts 2.13).

A santificação é uma obra de Deus, com a cooperação do seu povo (Fp 2.12,13; 2 Co 7.1). Para cumprir a vontade de Deus quanto à santificação, o crente deve participar da obra santificadora do Espírito Santo, ao cessar de praticar o mal (Is 1.16), ao se purificar 'de toda a imundícia da carne e do espírito' (2 Co 7.1; Rm 6.12; GI 5.16-25) e ao se guardar da corrupção do mundo (Tg 1.27; Rm 6.13,19; 8.13; Ef 4.31; 5.18; Tg 4.8).

A verdadeira santificação requer que o crente mantenha profunda comunhão com Cristo (ver Jo 15.4), mantenha comunhão com os crentes (Ef 4.15,16), dedique-se à oração (Mt 6.5-13; CI4.2), obedeça à Palavra de Deus (Jo 17.17), tenha consciência da presença e dos cuidados de Deus (Mt 6.25-34), ame a justiça e odeie a iniqüidade (Hb 1.9), mortifique o pecado (Rm 6), submeta-se à disciplina de Deus (Hb 12.5-11), continue em obediência e seja cheio do Espírito Santo (Rm 8.14; Ef 5.18)." (Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, pág. 1937)

GLOSSÁRIO

Antídoto: Remédio dado contra veneno.

Artimanha: Astúcia, artifício, ardil.

Basilisco: Réptil fantástico, de oito pernas, segundo alguns em forma de serpente, capaz de matar pelo bafo, pelo contato ou apenas pela vista, e segundo outros em forma de serpente ápode com um só olho na fronte.

Emulação: Competição, rivalidade, concorrência.

Escória: Coisa desprezível.

Lascívia: Luxúria, libidinagem, sensualidade.

Mácula: Nódoa, mancha.

Obsceno: Que fere o pudor; impuro, desonesto.

Palmilhar: Andar a pé; caminhar.

Porfia: Competição, rivalidade, disputa.

Purulento: Sórdido, infecto, podre.

Sórdido: Imundo, abjeto, repugnante.

VERIFIQUE O QUE VOCÊ APRENDEU

1. O que é impureza?

 

 

 

2. Como o crente pode resistir aos desejos impuros?

 

 

 

3. Com que arma o crente pode vencer o mundo?

 

 

4. Qual o fim daqueles que praticam a impureza?

 

 

5. O que Deus exige do seu povo? 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!