3 - Conhecendo a salvação

09/04/2015 19:20

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” (Atos 4:12 RA)

INTRODUÇÃO

Você agora é salvo. A salvação é a maior bênção que o ser humano pode receber e, ao mesmo tempo, a principal experiência espiritual. A salvação é o tema central da Bíblia. Todo o crente deve conhecê-la bem e falar dela aos que ainda não aceitaram a Cristo, para que também sejam salvos.

I. O QUE É A SALVAÇÃO?

Inicialmente, pode-se afirmar que ela é o resultado da morte expiatória de Jesus Cristo, na cruz do Calvário, que livra o homem da condenação eterna, causada pelo pecado. Leia Efésios 1.7; 2.1. A salvação é:

 1. Um ato soberano de Deus. A salvação é um ato da soberana vontade de Deus, que em seu Filho nos reconciliou consigo mesmo. 2 Coríntios 5.18,19 diz: "E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados...". Observe que a salvação é a demonstração do grande amor de Deus em favor da humanidade, condenada pelo pecado. Leia Romanos 3.10,11,23. Ela é oferecida a todos, sem exceção. Em Cristo, todos podem ser salvos, libertos do pecado, tornando-se, assim, filhos de Deus. Leia João 1.12.

2. Um ato da infinita misericórdia de Deus. Você aprendeu que a salvação é um ato soberano do Senhor, porque só Ele pode salvar. É, também, um ato da infinita misericórdia de Deus, porque é dada graciosamente, mediante a fé, e não por meio dos nossos próprios méritos ou boas obras.

O próprio Criador tomou a decisão de reconciliar consigo o homem, que, pela desobediência, havia se afastado dele, tornando-se escravo do pecado e inimigo de quem o criara.

Você precisa saber, também, que a sua salvação custou um alto preço: o sangue de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus (João 1.29), imolado pelos nossos pecados, na cruz do Calvário, conforme a profecia de Isaías 53.47; porém aos homens foi concedida graciosamente, segundo a misericórdia infinita de Deus. Jamais você pagaria tal resgate para a sua salvação, pois ela não depende de qualquer mérito humano, nem de boas obras. Leia Efésios 2.8,9.

II. A NECESSIDADE DA SALVAÇÃO

No tópico anterior, você aprendeu que "todos pecaram" e o salário do pecado é a morte (leia Romanos 6.23). Deste modo, todos necessitam da salvação. Todos precisam arrepender-se dos seus pecados, confessá-los a Deus e abandoná-los definitivamente, aceitando o dom gratuito de Deus.

1. A origem do pecado. Como o pecado entrou no mundo? Como isto aconteceu? Em Gênesis 1.26,27, lemos que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança e o colocou no Jardim do Éden, para o lavrar e o guardar. Disse-lhe que de todo o fruto ele podia comer, porém, daquele da árvore do conhecimento do bem e mal, o Senhor lhe proibiu que provasse, pois no dia em que o comesse, certamente morreria. Tratava-se de uma prova de obediência, e Adão devia ser fiel ao Criador. Feito à imagem e semelhança de Deus, o homem possuía livre-arbítrio. Estava capacitado a discernir o bem e o mal, o certo e o errado; não era um robô nas mãos do Todo-Poderoso. Obediência incondicional foi a exigência única imposta à criatura humana. Enquanto obedecesse, viveria. Todavia, apesar de usufruir as delícias do Éden e conviver em perfeita harmonia com o Criador, o homem, tentado, pecou e foi destituído da glória com que fora criado, perdendo, assim, a comunhão com Deus. Como representante da raça humana, ele transmitiu a toda sua descendência o estigma do pecado e a condenação da morte. A desobediência de Adão afetou toda a criação, a qual geme e chora sob o peso da maldição (leia Gênesis 3.6,17,19; e Romanos 8.22); nele todos pecaram, e por ele entrou a morte no mundo. A desobediência dele originou o pecado e condenou à morte toda a sua geração.

2. A herança do pecado. Você aprendeu que a salvação é a obra redentora de Deus, por meio de seu Filho Jesus Cristo, que livra o homem da condenação eterna. Noutras palavras: salvação é a vida eterna em Cristo Jesus, visto que só Ele pode salvar o homem da condenação da morte eterna, causada pelo pecado do primeiro homem. Veja o que diz a Bíblia: "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Romanos 3.23). "Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens; por isso, que todos pecaram" (Romanos 5.12). Esta é uma revelação terrível! "A morte passou a todos os homens..." Deste modo, o pecado foi a herança maldita deixada a todos os homens.

Como escapar desta condenação? Veja a importância da salvação: você estava morto em delitos e pecados, conforme Efésios 2.1,5 e Colossenses 2.13; e nada podia fazer para escapar do juízo divino. Porém, Deus em seu Filho o libertou da condenação da morte eterna. Leia João 5.24.

Você, agora, não precisa temer o juízo final, pois Jesus, mediante a sua morte na cruz do Calvário, condenou o pecado e concedeu a vida eterna a todos quantos nEle crerem. Leia Romanos 8.1. Cristo anulou, por sua morte e ressurreição, os efeitos do pecado, que é a morte eterna. O alvo foi atingido.

3. Os efeitos do pecado. O pecado afetou o homem nas esferas física,  mental, moral e espiritual (leia Romanos 3.10-18). Os efeitos são todos negativos. Toda causa tem as suas conseqüências. Considere os efeitos detalhadamente:

a) A auto justificação, tipificada nas vestes de folha de figueira, ao perceber que tinham pecado (Gênesis 3.7);

b) O medo. Gênesis 3.8-10 registra pela primeira vez que a criatura, ao ouvir a voz do Criador, sentiu medo e escondeu-se;

c) A maldição sobre a terra. A partir de então, por meio do trabalho e esforço físico, o homem teria que lutar pelo seu sustento todos os dias de sua vida (Gênesis 3.17,18);

d) A morte. O homem retornaria ao pó da terra, do qual havia sido formado (Gênesis 3.19);

e) A expulsão do Éden, para que não comesse da árvore da vida e vivesse eternamente no pecado (Gênesis 3.22,23);

f) A violência e o homicídio, sendo Caim o primeiro assassino, pois matou seu irmão Abel (Gênesis 4.8). Desde então, a violência tem sido constante e a criminalidade aumenta cada vez mais;

g) A corrupção geral do gênero humano. A maldade do homem se multiplicou por toda a Terra (Gênesis 6.5, 11, 12). Não obstante o castigo de Deus, pelo Dilúvio, o homem não deixou de praticar a maldade;

h) Enfermidades. Isaías 1.6 fala do estado lastimável do pecador.

III. ASPECTOS DA SALVAÇÃO

São três os aspectos da salvação:

1. Justificação. "Como se justificaria o homem para com Deus?" (Jó 9.2). O homem, morto em seus delitos e pecados, não tinha como justificar-se perante o Todo-Poderoso. Porém, mediante a morte expiatória e substitutiva de Jesus, tornou possível a justificação do transgressor. Como é possível isto? Veja: Justificação é um termo que lembra um tribunal, onde Deus, o Supremo Juiz, absolve o pecador das suas transgressões e o declara justo, isto é, justificado. Desta forma, Deus, o ofendido, reconcilia consigo mesmo o homem, o ofensor.

O que o homem não pôde fazer, Deus o fez por ele. A justiça de Cristo, o Justo, é concedida ao ser humano, mediante a graça divina (Romanos 5.17-19).

2. Regeneração. Trata-se de uma mudança de condição: antes, no pecado, o homem era inimigo de Deus e servo do Diabo; agora, feito justo, pela justiça de Cristo que lhe foi concedida, ele se torna membro da família divina, adotado como filho de Deus (João 1.12).

O homem, morto em seus delitos e pecados, nasce de novo. Este novo nascimento é efetuado pelo Espírito Santo em seu interior, mediante o arrependimento e a fé na graça divina (leia João 3.38). O termo ilustra uma cena em família, da qual o transgressor fora banido, tornando-se inimigo dela. Mediante o seu arrependimento e o conseqüente perdão, ele é restaurado ao convívio familiar.

3. Santificação. Uma vez restaurado à comunhão com Deus, o homem abandona as práticas pecaminosas do passado e separa-se (santifica-se) para o serviço do Senhor. A santificação é um ato do Espírito Santo, no interior do crente, que se reflete nos seus atos exteriores (leia o que afirma a Bíblia em 2 Coríntios 5.17). Portanto, justificação, regeneração e santificação são os três aspectos simultâneos da salvação plena em Cristo Jesus.

     Pode-se, então, afirmar que os resultados da salvação resumem-se em:

     a) Possuir uma fé viva em Cristo (Gálatas 2.20; 3.11);

     b) Obter vitória sobre o mundo e o pecado (1 João 5.4,5);

     c) Tornar-se membro da família de Deus (Efésios 2.19).

DISCIPULADO

Ao ascender ao Céu, o Senhor Jesus ordenou aos seus discípulos que realizassem a obra que Ele iniciara em seu ministério terreno. Desde então, todos os que aceitam a Cristo, como seu Senhor e Salvador, cumprem o "ide", a fim de ganhar as almas para o reino de Deus.

1. Você, também, está incumbido desta tarefa gloriosa. Não importa se ainda não foi batizado nas águas, nem no Espírito Santo. Você é um discípulo de Jesus, e deve cumprir o que ele ordenou.

2. Comece por evangelizar as pessoas com as quais você está mais relacionado, por exemplo: seus familiares, vizinhos, amigos, colegas de trabalho ou de escola, etc. Todos carecem da salvação e precisam de Jesus.

3. Peça a Deus que lhe ajude a ganhar o maior número possível de almas para Cristo. Lembre-se: você é uma nova criatura e pertence à família de Deus; convide outras pessoas a fazer parte dela também. Deus vai abençoar grandemente o seu trabalho evangelístico. Amém.

 

VERIFIQUE O QUE VOCÊ APRENDEU

1. Conforme Romanos 3.23, por que a salvação é necessária?

R. O homem estava destituído da glória de Deus.

2. Por meio de quem o pecado entrou no mundo?

R. De Adão.

3. Qual a principal conseqüência do pecado?

R. A condenação da morte eterna.

4. Quem pode salvar o homem da condenação eterna?

R. Jesus Cristo.

5. Conforme Efésios 2.8,9, como se pode obter a salvação?

R. Por meio da fé em Cristo Jesus.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!