12 - A volta de Jesus e o arrebatamento da Igreja

09/04/2015 19:52

"...num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados" (1 Coríntios15.52).

"Sede vós também pacientes, fortalecei o vosso coração, porque já a vinda do Senhor está próxima... Eis que o juiz está à porta" (Tg 5.8,9).

Leitura bíblica em classe

1 Tessalonicenses 4.13-18

“13 Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. 14  Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem. 15  Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. 16  Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; 17  depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. 18  Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.” (1 Ts 4:13-18 RA)

 

Sugestão de leitura diária

Segunda - Ap 16.15

Jesus virá como o ladrão

Quinta - Mt 25.5

Jesus virá quando muitos estiverem dormindo

Terça - Mc 13.35

Jesus virá inesperadamente

Sexta - Lc 21.34

Jesus virá de improviso

Quarta - Lc 18.8

Jesus virá num tempo de incredulidade

Sábado - 1 Ts 4.16

Jesus virá ante o toque da última trombeta

 

 

A volta de Jesus não é uma hipótese teológica; é uma verdade bíblica inquestionável e infalível.

INTRODUÇÃO

Se alguém lhe fizesse algumas perguntas concernente a volta de Cristo, o que você responderia? Saberia responder com convicção? Em que basearia sua resposta? Você já examinou as Escrituras a respeito desse importante tema? O que diz a Bíblia sobre o retorno de Jesus? A volta de Cristo é ensinada de maneira clara, definida e inequívoca na Palavra de Deus. Se você estudar a Bíblia minuciosamente, descobrirá que, depois da doutrina da expiação, mediante o sangue de Cristo, não há verdade tão proeminente como a referente à Segunda vinda de Cristo.

Jesus mesmo falou diversas vezes que retornaria a este mundo. Até os anjos deixaram sua mensagem sobre esse grandioso evento. Veja o que eles disseram no momento da ascensão de Cristo: "Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir" (Atos 1.11). O Espírito Santo através dos tempos tem vivificado esta verdade nos corações de todos os crentes em todas as épocas e lugares. Leia João 14.1-3; Atos 1.1-11; 1 Tm 4.1; João 16.13.

I. A CERTEZA DA VOLTA DE CRISTO

A Bíblia Sagrada relaciona enfaticamente a ressurreição dos mortos com a Segunda Vinda de Cristo. O apóstolo Paulo escreveu: "Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.

Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com ele.

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor" (1 Tessalonicenses 4.13,14,16,17). Esta certeza baseia-se nas seguintes razões:

1. Jesus mesmo afirmou que voltará. Jesus prometeu voltar ao mundo para consumar sua obra. Ele disse aos discípulos: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também." (João 14.1-3). Esta promessa foi repetida várias vezes, de várias maneiras.

2. Os anjos afirmaram que Ele voltará. Como já foi dito, no momento da ascensão de Jesus, estando os discípulos "com os olhos fitos no céu, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles, e lhe perguntaram: "Varões galileus, por que estais olhando para as alturas? Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu, assim virá do modo como o viste subir" (Atos 1.10,11).

3. O testemunho da Palavra de Deus afirma que Ele voltará. Só no Antigo Testamento existem cerca de 1527 referências à Segunda Vinda de Cristo. No Novo Testamento, esse mesmo evento é mencionado por trezentos e dezenove vezes. Para cada vez que a primeira vinda de Cristo é mencionada, a Segunda é referida oito vezes. Capítulos inteiros, como Mateus 24, Lucas 21 e Marcos 13, foram dedicados ao ensino do segundo advento; e livros inteiros, como Primeiro e Segundo Tessalonicenses, foram escritos, quase que especificamente, para tratar desse importante tema.

4. O testemunho da Ceia do Senhor afirma que Ele voltará. A cada vez que o crente se assenta à mesa do Senhor, está proclamando a sua fé na volta de Jesus. O Senhor mesmo disse: "...fazei isso em memória de mim..." (Lucas 22.19). O apóstolo Paulo acrescenta as seguintes palavras: "Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha" (1 Coríntios 11.26). A igreja haverá de celebrar a Ceia do Senhor para sempre? Não. Haverá de celebrá-la enquanto Cristo não vier; e assim que ele retomar, nunca mais a Igreja terá de celebrar a Ceia memorial, porquanto é somente "até que ele venha". Após isso, não teremos mais de nos lembrarmos dEle, porquanto Ele estará conosco para sempre.

5. Os sinais do fim dos tempos atestam que Jesus voltará. Os sinais que ora se cumprem segundo as profecias, atestam que o principal dos grandes acontecimentos do fim dos tempos, está às portas, isto quer dizer que Jesus vem muito breve.

Quais são estes sinais? Eles estão descritos em Mateus 24.3-12. A Palavra de Deus diz que no final dos tempos haveriam falsos cristos, guerras, rumores de guerras, fomes, pestes, terremotos, perseguição, falsos profetas, multiplicação da iniqüidade, frieza espiritual, etc. Para complementar essa parte do estudo, leia Mateus 24.3-12 e Marcos 13.28-31.

 II. DE QUE MANEIRA JESUS VOLTARÁ

A sua volta será em duas fases distintas. Em primeiro lugar virá buscar a sua noiva, isto é, abruptamente, "num momento, num abrir e fechar de olhos", levará os que se acharem preparados para a sua vinda. Esta fase refere-se ao "arrebatamento da Igreja". Ler 1 Coríntios 15.52; 1 Tessalonicenses 4.17.

A segunda fase diz respeito à revelação de Cristo em glória, ocasião em que nosso amado Salvador descerá no monte das Oliveiras (leia Zacarias 14.4). Nesta etapa Jesus voltará com a Igreja a fim de restaurar o povo de Israel e erguer seu Reino de paz sobre a terra.

Para enriquecer seus conhecimentos, leia todo o capítulo 4 e 5 da primeira epístola do apóstolo Paulo aos tessalonicenses e todo o capítulo 2 da segunda.

III. O ARREBATAMENTO DA IGREJA

Consideremos o arrebatamento da Igreja em dois sentidos: etimológico e bíblico-teológico. Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, encontramos centenas de passagens sobre essa doutrina.

1. Sentido etimológico. A palavra arrebatamento, no contexto da escatologia bíblica significa tirar com rapidez e de forma inesperada. Quando o Novo Testamento foi traduzido para o latim, optou-se pelo vocábulo raptus que, originando-se do verbo raptare, comporta os seguintes significados: tirar, arrancar, tomar das mãos alguma coisa de forma violenta.

2. Definição bíblico-teológica. O arrebatamento é a retirada imprevista e repentina da Igreja deste mundo, pelo poder de Deus, para que, trasladada às regiões celestes, esteja para sempre com o Senhor Jesus. O Novo Testamento dedica duas passagens ao arrebatamento da Igreja: 1Co 15 e 1Ts 4. Em 1Ts 4Paulo descreve o rapto dos santos; em 1Co 15 mostra como nossos corpos serão glorificados.

IV. A IGREJA SERÁ ARREBATADA ANTES DA GRANDE TRIBULAÇÃO

Não são poucos os que confundem o pré-milenismo com o pré-tribulacionismo. Vejamos as diferenças entre ambas as posições.

1. Pré-milenismo histórico. Como o próprio nome o indica, o pré-milenismo histórico ensina que a Igreja passará pela Grande Tribulação, mas será arrebatada antes do estabelecimento do Milênio.

2. Pré-tribulacionismo. O pré-tribulacionismo afirma que Jesus arrebatará a Igreja antes da Grande Tribulação. Esta posição acha-se em perfeita harmonia com as Sagradas Escrituras (Ap 3.10). Examinar também Lc 21.35,36; 1Ts 1.10; 5.9.

O arrebatamento tem a ver com a Igreja; a manifestação visível de Jesus em glória tem a ver: 1) com o livramento de Israel do poder do Anticristo, e 2) com o julgamento das nações. Jesus, por conseguinte, virá buscar a sua Igreja antes da Grande Tribulação. A seguir, veremos o que é o arrebatamento dos santos.

V. QUANDO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA?

1. Ninguém sabe. Jesus virá como vem o ladrão, e ninguém pode prever o momento de um assalto (1 Tessalonicenses 5.2; Mateus 24.43,44). Ele próprio afirmou que nem os anjos sabem o dia e a hora, mas apenas o Pai: "Mas, daquele Dia e hora, ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai (Marcos 13.32,33). O arrebatamento dar-se-á a qualquer instante. Jesus Cristo virá como o ladrão (1Ts 5.4; 2Pe 3.10). Vigiemos para que este dia não nos surpreenda. A exortação é do próprio Cristo: "Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado  aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas" (Ap 16.15). Jesus também nos diz: "Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor" (Mt 24.42). Nesse contexto temos uma advertência Bíblia para ninguém especular quanto à data do arrebatamento. Tudo o que sabemos é que Jesus está às portas.

2. Prenúncios do arrebatamento. A maioria dos sinais e das profecias, prenunciando o retorno de Cristo, já é uma realidade. O que dizer da criação do Estado de Israel? E as guerras e rumores de guerra? E as fomes? E as pestes? E as sucessivas catástrofes? Permaneceremos indiferentes à imoralidade que vai enlameando os lares? Não reagiremos à apostasia que ameaça a Igreja de Cristo? Leia com atenção todo o capítulo 24 de Mateus. É impossível não ver os sinais da vinda de Cristo. As advertências aí estão; não podemos brincar de crentes; temos de levar a sério nossa vida espiritual.

3. Jesus buscará sua Igreja antes que venha a "Grande Tribulação". Os crentes hoje passam por muitas tribulações, porém, a "Grande Tribulação", descrita em Mateus 24.21-29, somente irromperá após o arrebatamento da Igreja. Portanto, os salvos, autênticos servos do Senhor Jesus, não passarão pela Grande Tribulação. Veja o que diz a Palavra de Deus a esse respeito: "Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele" (1Tessalonicenses 5.9-11). Leia também Apocalipse 3.10.

VI. COMO SE DARÁ O ARREBATAMENTO?

O apóstolo Paulo assim descreve o arrebatamento da Igreja de Cristo aos irmãos de Tessalônica:

1. Ressoada a trombeta de Deus, descerá o Senhor Jesus dos céus com alarido e voz de arcanjo (1Ts 4.16).

2. Ato contínuo, os que dormem em Cristo ressuscitarão e, imediatamente, serão trasladados às regiões celestes para encontrar o Senhor nos ares (1 Ts 4.16).

 

3. Quanto aos que estiverem vivos, seremos transformados, arrebatados e levados ao encontro do Senhor (1Ts 4.17).

A glorificação dos santos, quer vivos, quer mortos, ocorrerá num momento (1 Co 15.52). A palavra no original grego para "momento" é mui expressiva: atomo. Trata-se de uma fração de tempo tão ínfima que não comporta nenhuma divisão. Ao exemplificar tal fração, Paulo traz à tona uma imagem comum a todos nós: o abrir e fechar de olhos; um instante pequeno demais para ser mesurado segundo a noção de tempo do ser humano.

Afinal, o que temos aqui? Um ato ou um processo? Sem dúvida, um ato repentino; um milagre. É algo que desafia as leis da física.

VII. A VOLTA DE CRISTO CONSTITUI ESPERANÇA E CONSOLO PARA O CRENTE

1. A bendita esperança. O olhar do crente fiel deve percorrer os céus, "aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória de nosso grande Deus e salvador Jesus Cristo" (Tito 2.13). Anelamos e esperamos o Filho de Deus que virá desde os céus: "Assim também, Cristo, tendo se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação" (Hebreus 9.27).

2. Consolo para o crente. O arrebatamento também é motivo de consolo para todos os crentes (1 Tessalonicenses 4.18). Morte, separação, martírio, sacrifício, perseguição e qualquer outra coisa que aflija ao crente, perdem o seu poder e se tornam menos terrível por causa da esperança consoladora da vinda do Senhor Jesus.

CONCLUSÃO

A qualquer momento, virá o Senhor Jesus arrebatar a sua Igreja. Esta é a nossa bendita esperança (Tt 2.13). Não fora este lenitivo, nossa vida seria insuportável. Como, porém, nossa existência não se acha circunscrita a este mundo, em breve, ante o estrugir da última trombeta, seremos tomados pelo Senhor e, com o Cordeiro de Deus, estaremos para sempre.

"Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras" (1 Ts 4.18).

Está você preparado para o arrebatamento? Como está a sua vida espiritual? Tem orado regularmente? Tem guardado o seu coração do mal? Que o Senhor não nos encontre despercebidos.

DISCIPULADO

1. Quem será arrebatado na vinda de Jesus? A pergunta é séria, mas simples. Quem vai para o altar com o noivo? A noiva, naturalmente! Quem é a noiva de Cristo? O apóstolo Paulo escreveu que tinha preparado a Igreja, para apresentá-la como uma virgem a um noivo, a saber, Cristo, e queria adverti-Ia para que tomasse cuidado de não perder sua simplicidade (leia 2 Coríntios 11.2,3). Em apocalipse 19.7,8, está escrito que a Noiva está vestida da justiça dos santos. Sem estas vestes ninguém entra nas Bodas do Cordeiro (Mateus 22.11). E você, está cuidando de suas vestes a fim de que elas não sejam manchadas ou fiquem enrugadas? Leia Efésios 5.27. Você tem mantido sua vida em santidade? A Bíblia diz que sem a santidade ninguém verá o Senhor (Hebreus 12.14).

2. O ensino sobre a Segunda Vinda de Cristo também estimula o serviço cristão. Os crentes que ardentemente aguardam a volta de Cristo reavaliam constantemente as prioridades que governam sua maneira de viver. Sempre colocam em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça. Não querem ser surpreendidos tendo as mãos vazias. Eles sabem que, um dia, todos teremos que comparecer ante o Tribunal de Cristo. Por isso alertam constantemente seus parentes, amigos, conhecidos e os demais pecadores, a que estejam preparados para a vinda do Senhor. Você está preparado?

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

Subsídio teológico

"O Arrebatamento”

A definição da 'segunda vinda de Cristo' é bastante ampla; é vista pelo menos de duas maneiras diferentes. É localizada, às vezes, para indicar o drama dos tempos do fim, abrangendo tanto o arrebatamento da Igreja quanto a revelação de Cristo em glória no monte das Oliveiras (Zc 14.4). Outras vezes, é enfocada especificamente para diferençar a revelação de Cristo do arrebatamento da Igreja que a antecederá.

A primeira fase da segunda vinda de Cristo, tomada em sentido mais amplo, refere-se ao arrebatamento da Igreja. Abruptamente, e sem aviso prévio, Jesus levará os que se acharem preparados à sua vinda (1Ts 4.16-18). Os que estiverem 'em Cristo', tanto os ressuscitados quanto os que se encontram vivos, serão conjuntamente 'arrebatados'. O vocábulo grego harpagesometha significa 'arrebatados poderosamente' às nuvens (possivelmente nuvens de glória) para se encontrarem com Ele nos ares.

Em harpazo, há um tempo verbal futuro passivo usado para descrever a ação dos ladrões e das águias: ambos, furtivamente, apropriam-se de seus despojos. É o caso de Paulo que foi levado de repente e com grande poder ao terceiro céu (2Co 12.2). O latim traduziu esse termo por raptus, que é a raiz da palavra portuguesa 'arrebatamento', mostrando que essa palavra torna-se um termo legítimo para designar este tão maravilhoso evento previsto tantas vezes pela Bíblia. (MENZIES, W.W., HORTON, S.M. Doutrinas bíblicas: os fundamentos da nossa fé. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.179.)

Também, "A Bíblia indica dois aspectos da Segunda Vinda de Cristo. Por um lado, Ele virá como o Preservador, Libertador ou Protetor" da ira vindoura" (1 Ts 1.10). "Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira" (Rm 5.9). Devemos manter-nos espiritualmente vigilantes, viver a vida sóbria, equilibrada com domínio próprio, e usar a armadura do evangelho: a fé, o amor e a esperança da salvação, "porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele. Pelo que exortai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros" (1 Ts 5.9-11).

"Esses versículos de encorajamento referem-se à promessa já dada na mesma epístola de que "o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras" (1 Ts 4.16-18).

 

Morte, separação, martírio, sacrifício, perseguição e qualquer outra coisa que aflija o crente, perdem o seu poder e se tornam menos terríveis por causa da esperança consoladora da vinda do Senhor Jesus.

"Somente a ressurreição dos que morreram "em Cristo" está em mira aqui. São transformados, revestidos de imortalidade "num momento, num abrir e fechar de olhos" (1 Co 15.52; ver também vv. 53,54), transformados "para ser conforme o seu corpo glorioso" (Fp 3.21). Então, os crentes que ainda estiverem vivos, serão transformados e arrebatados nos ares juntamente com aqueles, num só corpo. A única exigência tanto para os mortos e, obviamente para os crentes que estiverem vivos, é que estejam "em Cristo", ou seja: num relacionamento de fé e de fidelidade nEle". (Teologia Sistemática, CPAD, págs. 632, 633)

GLOSSÁRIO

Abruptamente: Subitamente, repentinamente.

Anelar: Desejar ardentemente; aspirar a.

Ascensão: Subida, elevação.

Concernente: Que concerne; relativo, atinente, referente.

Descabido: Que não tem cabimento; impróprio, inconveniente, inoportuno.

Estrugir: Fazer estremecer com estrondo; estronde ar.

Indizível: Que não se pode dizer; inefável.

Ínfimo: O mais baixo de todos; pequeno.

Inequívoco: Em que não há equívoco; claro, evidente, manifesto.

Insofismável: Sem erro; sem engano.

Irromper: Entrar, surgir, com ímpeto, com violência; precipitar-se.

Lenitivo: Alívio, conforto, consolação.

Mesurado: Comedido, medido.

Proeminente: Que sobressai, ressalta; saliente.

 

VERIFIQUE O QUE VOCÊ APRENDEU

1. O que é o arrebatamento da Igreja?

 

 

 

 

2. Como se dará o arrebatamento da Igreja?

 

 

 

 

3. O que afirma o pré-tribulacionismo?

 

 

 

 

4. Quais as duas principais passagens do Novo Testamento acerca do arrebatamento?

 

 

 

 

5. Você está preparado para o arrebatamento?

 

 

 

6. Segundo Atos 1.11, o que disseram os anjos no momento em que Jesus ascendia aos céus?

 

 

 

7. Em que baseamos nossa certeza da volta de Cristo?

 

 

 

8. Quantas vezes a Segunda Vinda de Cristo é mencionada no Novo Testamento?

 

 

 

9. A Igreja haverá de celebrar a Santa Ceia do Senhor para sempre? Por quê?

 

 

 

10. Quais são os principais sinais do fim dos tempos descritos em Mateus 24. 3-12?


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!