11 - Conhecendo o valor do Jejum

09/04/2015 19:29

(SL 109:24) "De jejuar estão enfraquecidos os meus joelhos, e a minha carne emagrece”.

INTRODUÇÃO

Por definição, jejuar é a prática de não se alimentar por certo tempo. Porém não significa apenas abstinência de alimentos, mas é algo profundamente espiritual que, se observado conforme a orientação do Senhor, redundará em grandes bênçãos e experiências.

Em princípio, não jejuamos para obter alguma coisa, mas para revigorar o nosso espírito diante do nosso Deus sobrenatural. O jejum desobstrui o “canal” que nos conecta com a unção de Deus, pois este tem a tendência de se corromper por meio do curso normal de nossa vida neste mundo decadente.

Por isso, a melhor maneira de purificar o nosso “sistema espiritual” da corrosão do mundo e do pecado é praticar o jejum e a oração.

Quando você jejua:

1. você está se humilhando debaixo da poderosa mão de Deus;

2. você será capaz de ver as prioridades da vida de uma maneira mais clara. O Reino de Deus se tornará o primeiro objetivo de sua vida e você terá maior percepção sobre os seus valores. Como Maria, você será capaz de escolher “a melhor parte” e por de lado aquilo que não é bom (veja Lucas 10:42);

3. você encontrará equilíbrio na área de sua vida que, geralmente, está desequilibrada;

4. egoísmo, ambição e orgulho começaram a ser banidos de sua vida Você começará a valorizar e realmente apreciar as coisas que Deus, tem lhe concedido. Você dirá: “Ó, que dia maravilhoso! É bom estar vivo!” – ao invés de murmurar;

5. você se tornará mais sensível ao Espírito de Deus. As coisas espirituais se tornarão mais claras e efetivas em seu viver.

CARACTERÍSTICAS DO JEJUM

Agrada a deus - voluntariedade

O jejum é uma necessidade do crente, um meio de graça para se alcançar o favor do Senhor. Ao jejuar, o homem espera que Deus se mova a seu favor, seja para livrá-lo, guardá-lo ou auxiliá-lo em situações difíceis. Em qualquer caso, o princípio do jejum é fazer com que Deus se agrade de nós ao ver-nos negando a satisfação da carne para dar lugar à operação do seu Espírito e, assim, atenda ao nosso clamor.

Desse modo, a intenção de agradar a Deus tem que ser espontânea e não forçada, pois isso não agrada ao Senhor, já que não há o desejo de agradar, mas apenas o cumprimento de uma obrigação.  A exemplo, podem-se citar dois dos sacrifícios estabelecidos pelo Senhor: o expiatório era condição de perdão, mas o holocausto era adoração voluntária.

O holocausto produzia “cheiro agradável ao Senhor”, pois apontava para o Senhor Jesus, que se ofereceu a si mesmo, voluntariamente, para ser consumido por completo em favor da salvação do homem. Por isso, deveria ser oferecido por vontade do ofertante, ao contrário do sacrifício pelo pecado, que era uma condição para o perdão.

(LV 1:3) "Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá macho sem defeito; à porta da tenda da congregação a oferecerá, de sua própria vontade, perante o SENHOR”.

Profético para a igreja

•   Jesus predisse que a igreja jejuaria

(Mateus 6:16)  Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa.

(Mateus 9:15) "E disse-lhes Jesus: Podem porventura andar tristes os filhos das bodas, enquanto o esposo está com eles? Dias, porém, virão, em que lhes será tirado o esposo, e então jejuarão”.

Exige desejo de santificação, sinceridade de coração – amor

(IS 58:4) "Eis que para contendas e debates jejuais, e para ferirdes com punho iníquo; não jejueis como hoje, para fazer ouvir a vossa voz no alto”.

 (IS 58:6) "Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo?”.

Obs. O povo jejuava, mas vivia de modo egoísta, sem amor ao próximo, em contendas, sem arrependimento e em desobediência a Deus, praticando a injustiça.

POR QUE JEJUAMOS? EXEMPLOS BÍBLICOS:

Jesus jejuava

(MT 4:2) "E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;"

Jesus orientou e ensinou como jejuar

 (MT 6:16-18) "E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. 17 Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto," 18 "Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente."

Em obediência à palavra de Deus: “quando jejuardes...” “...e então jejuarão”.

(Joel 2:12) Ainda assim, agora mesmo, diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto.

(2 Cor. 6:4-6)  4 Pelo contrário, em tudo recomendando-nos a nós mesmos como ministros de Deus: na muita paciência, nas aflições, nas privações, nas angústias, 5  nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, 6  na pureza, no saber, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido,

Para pedirmos ao Senhor a sua proteção na nossa jornada aqui na terra:

O pedido

(ED 8:21) "Então apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos diante da face de nosso Deus, para lhe pedirmos caminho seguro para nós, para nossos filhos e para todos os nossos bens”.

A resposta

(ED 8:23) "Nós, pois, jejuamos, e pedimos isto ao nosso Deus, e moveu-se pelas nossas orações."

Para sermos revestidos da autoridade necessária a algumas ações que exigem o a manifestação do poder de Deus:

(MC 9:29) "E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum”.

Para pedirmos socorro ao Senhor nas tribulações:

O pedido

(2CR 20:2-4) "Então vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar e da Síria; e eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi. 3 Então Josafá temeu, e pôs-se a buscar o Senhor, e apregoou jejum em todo o Judá.4 E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao Senhor; também de todas as cidades de Judá vieram para buscar ao SENHOR."

A resposta do Senhor

(2CR 20:15, 17) "E disse: Dai ouvidos todo o Judá, e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá; assim o SENHOR vos diz: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão; pois a peleja não é vossa, mas de Deus. (...) 17 Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco."

Para consolação em momentos de aflição, angústia, tristeza:

(2SM 1:12 e 26) "E prantearam, e choraram, e jejuaram até à tarde por Saul, e por Jônatas, seu filho, e pelo povo do SENHOR, e pela casa de Israel, porque tinham caído à espada.(...) 26 Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; quão amabilíssimo me eras! Mais maravilhoso me era o teu amor do que o amor das mulheres."

Para nos prepararmos para enfrentar situações difíceis, onde necessitamos de livramento:

(ET 4:16) "Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas servas também assim jejuaremos. E assim irei ter com o rei, ainda que não seja segundo a lei; e se perecer, pereci."

Obs. A ordem do Rei era que no dia 13 do 12º mês os judeus fossem exterminados e Ester precisava interceder junto ao rei por seu povo, mas todo o homem ou mulher que se chegasse ao rei no pátio interior, sem ser chamado morreria, salvo se o rei estendesse para ela o cetro de ouro.

Para ouvir a voz do Senhor

(AT 13:1-2) "E na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo. 2 "E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado."

A PRÁTICA DO JEJUM

1. acompanhado de oração e leitura da palavra de Deus – ao dar lugar ao Espírito, em detrimento da carne, temos a oportunidade de orar todos os momentos em que a carne reclamar que está querendo ser atendida, ou seja, todas as vezes que a nossa carne reclama a comida ou a bebida lembramos que estamos em consagração e aproveitamos para orar a Deus pelo motivo pelo qual estamos jejuando.

É indispensável a leitura da palavra de Deus durante o período de jejum pois, com certeza, os ataques de satanás serão implacáveis nestes tempos e a batalha espiritual pode se intensificar muitíssimo. O inimigo de nossas almas odeia quando entramos em um propósito de jujum e oração, mas o nosso console é que a vitória é carta.

2. forma, duração e horário – fica a critério de cada um definir o período  e número de horas que estará em jejum. Há pessoas fazem um ou dois jejuns semanais de 24 horas. Outros preferem fazer uma semana de jejum de 12 horas por dia.

Mas, quando se fala em jejum, alguns só pensam no “jejum total”. Em suas mentes, a única forma jejuar é abster-se de todo e qualquer líquido ou comida. Na realidade, este tipo de jejum é a forma mais rara de jejum, mesmo na bíblia.

 

Vejamos, então, alguns tipos de jejuns:

a)    Jejum total – segundo os registros bíblicos, só Moisés participou de tal jejum por um período tão longo de tempo (dois períodos de 40 dias), pois estava debaixo de uma unção especial para isto (Dt. 9:18). É bom lembrar que, exceto por uma ação sobrenatural, o organismo humano não resiste mais que três dias sem a ingestão de líquido. E foi este jejum, chegando ao limite humano, que foi realizado no tempo da Rainha Ester. Juntamente com todo o povo judeu, a Rainha jejuou por três dias, sem comer nem beber (Ester 4:16). Outro registro de jejum total está em Jonas 3:5-8, que relata que o Rei de Nínive, todos os ninivitas e todos os animais fizeram um jejum total, sem comer nem beber.

b)    Jejum só de alimentos, sem retirar a água – Jesus. Infere-se que o Jejum de 40 dias realizado por Jesus no deserto foi apenas de alimento, uma vez que ao final de seu jejum, a palavra nos relata que Jesus “teve fome” (Mt 4:2), associado ao fato de que a tentação promovida por Satanás referiu-se apenas a transformar pedras em pães (Mt. 4:3).

c)    Jejum parcial – Daniel. Segundo o relato bíblico Daniel comeu apenas o que não era desejável ou agradável, retirando de sua alimentação apenas o que considerava “manjar desejável”, retirando de sua alimentação diária, por três semanas, a carne e o vinho. (Dn 10:3). Esse jejum foi aceito por Deus, que o visitou com uma revelação especial.

Como visto, é possível que o jejum se refira à abstenção de alguma parte da alimentação, tal como a retirada de alguma guloseima tão habitual que faça falta à satisfação do prazer da carne no dia em que for suprimida. Se o jejum for a abstenção total de alimentos por 24 horas, por exemplo, pode-se tomar água. No caso de dificuldade (por exemplo, no caso de pessoas que trabalham em um ambiente que demande um gasto maior de energia), pode-se beber sucos de fruta que não sejam muito ácidos. Nos jejuns de 24 horas, estes podem ser iniciados após o jantar e terminar no jantar do dia seguinte, mantendo-se a ingestão de líquidos. Para quem prefere o jejum com abstenção total (alimentos e líquidos), sugerimos o jejum de apenas 12 horas seguidas.

3. cuidados – gestantes ou pessoas que estão se submetendo a tratamento médico com uso de remédios controlados não devem se descuidar da alimentação e do controle da medicação. Portanto, caso resolvam jejuar, devem escolher o melhor horário sem abrir mão dos cuidados com a saúde, ou seja, a gestante deve alimentar-se e os remédios devem ser tomados nos horários devidos. Os jejuns apenas de alimentos podem incluir sucos que não sejam muito ácidos, por isso deve-se evitar o suco de laranja e abacaxi. O suco de maçã é muito bom neste caso. Também, é importante que quem ainda não está acostumado com o jejum não comece fazendo um jejum prolongado. Deve-se começar com duas horas e ir aumentando paulatinamente até que o organismo vá se acostumando. Depois, pode-se retirar uma refeição e assim sucessivamente. É aconselhável beber bastante água durante os jejuns prolongados, o que ajuda, inclusive, na desintoxicação do organismo.

Deve-se esclarecer que não é o jejum que resolve nossos problemas. Quem os resolve somos nós, com o auxílio de Deus, que faz aquilo que não podemos fazer. Por fim, podemos notar com este ensino que é importante que não nos deixemos dominar por nada que esteja fora da vontade do Senhor, inclusive nossa alimentação e nosso tempo.

 

VERIFIQUE O QUE VOCÊ APRENDEU

1. O jejum é uma opção bíblica para o crente em Jesus?

R. Não. O jejum é profético. Jesus disse que a igreja jejuaria.

2. Devo jejuar por constrangimento?

R. Não, o jejum é um ato voluntário.

3. Quais os tipos de jejum registrados na bíblia?

R. O jejum total, o jejum só de alimentos e o jejum parcial.

4. Cite três cuidados que devo ter ao jejuar

R. Não deixar de tomar os remédios controlados; não ingerir sucos ácidos; e ingerir bastante água/sucos não-ácidos em jejuns prolongados.

5. Cite três razões para o crente jejuar

R. obediência à palavra de Deus; proteção; e revestimento de autoridade para ações espirituais.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!